Morte dos pais: como se preparar para momentos indesejados

Morte dos pais: como se preparar para momentos indesejados

O amor à família é um dos sentimentos mais nobres e intensos que alguém pode experimentar. Por isso, é muito importante aproveitar ao máximo os momentos de felicidade e aconchego que só um lar pode oferecer. Mas não tem como fugir: até os ambientes mais unidos e felizes passam por momentos difíceis, sejam relacionados a questões de saúde, problemas financeiros ou mesmo à morte dos pais ou de algum outro ente querido.

Nessas horas, é preciso ter ainda mais reciprocidade e compaixão, fortalecendo os laços para lidar com a situação negativa da maneira mais serena possível. Nesse contexto, o carinho e o afeto das pessoas próximas são fundamentais para superar a fase ruim e seguir em frente.

Neste post, vamos falar um pouco mais sobre o tema, abordando a importância de se tomar alguns cuidados para transformar esse momento, que já é naturalmente muito difícil, no mais simples possível. Saiba desde já: com organização e dedicação prévias, é possível diminuir as burocracias durante o período, tornando tudo mais leve. Confira!

Entenda que imprevistos fazem parte da vida

Morte dos pais

Por mais organizada que a pessoa seja, viver é imprevisível. Lembre-se: não existe nenhuma garantia de que todos os nossos sonhos e planos vão se concretizar de acordo com nossas expectativas.

Estar ciente disso para lidar melhor com a incerteza e ansiedade do dia a dia é um desafio importante, que certamente requer o desenvolvimento de maturidade emocional.

Diante de todos os aspectos que podem nos trazer problemas, a morte dos pais com certeza está entre os piores momentos da vida de qualquer filho. Afinal, os progenitores são a representação de amor e fraternidade, responsáveis inclusive por ensinar pontos fundamentais de caráter e personalidade.

É, assim, um ciclo importante que deixa de existir materialmente, transformando-se em uma parte linda da nossa história, repleta de lembranças de boas e muita saudade.

Os pais representam o primeiro amor na vida dos filhos. Por isso, realmente é muito difícil dizer adeus. É importante encontrar uma maneira de lidar com o período de luto, principalmente na fase inicial, que é mais dolorida, cuidando para que esse momento ruim não se prolongue demais ou se transforme em um desafio maior do que já é.

Por mais que a superação seja difícil, é preciso aprender a conviver com o fato, para que consiga viver sua vida da forma mais feliz possível.

Uma dica de ouro é buscar viver intensamente os momentos em família desde já, com carinho, amor e cuidado acima de tudo. Tenha sempre em mente que é um verdadeiro privilégio estar ali e ser digno de um sentimento tão nobre quanto o amor de um pai e uma mãe.

materiais educativos

Esteja preparado para imprevistos financeiros

Mais que uma questão emocional, existem também questões burocráticas e financeiras com as quais precisamos lidar no caso da perda dos pais. Como a situação já é, por si só, muito dolorosa, o ideal é se preparar. E esse preparo pode ser feito por meio de medidas como:

• o desenvolvimento de um planejamento financeiro sólido;
• a contratação de um seguro de vida;
• a criação do hábito de poupar;
• a contratação de uma previdência privada;
• a criação de um fundo emergencial.

O momento já é suficientemente difícil para você ainda ter que lidar com questões financeiras, não concorda? Por isso, para aliviar ao menos essa parte do peso da situação, o ideal é desenvolver um plano o quanto antes.

Como dissemos, a contratação de um seguro de vida ou de uma previdência privada, bem como a criação de um fundo para emergências são ótimas pedidas para esse fim. Assim, a preocupação financeira, que poderia acrescentar uma carga enorme à situação, dá uma trégua, permitindo que os sentimentos tomem seu devido lugar, tudo no tempo certo.

Comece a focar no seu crescimento pessoal após a morte dos pais

Morte dos pais

Aprenda a desenvolver a atenção plena

Muitas vezes, as pessoas fazem coisas de maneira automática, sem se dar conta do que realmente está acontecendo ou mesmo das consequências de seus atos.

Isso normalmente se deve ao peso da rotina, que faz nosso cérebro automatizar ações e reações para poupar esforço ao não ter que racionalizar absolutamente tudo o que executamos. Podemos citar como exemplos desde atos do cotidiano, como dirigir e digitar, até ações vitais, como andar, falar e respirar.

Estar em um estado de atenção plena significa manter o foco totalmente no momento presente, para, assim, conseguir observar suas emoções, sejam elas de natureza prazerosa ou não, e identificar como elas influenciam sua vida.

Uma boa forma e atingir esse objetivo é praticando meditação. Acredite: apenas alguns minutos por dia já podem trazer ótimos resultados.

Para começar, você pode trazer o foco de sua atenção para sua respiração, tentando se manter ali no momento, concentrado. Também é benéfico tentar perceber as partes do corpo, como mãos e pés, além dos batimentos cardíacos.

Essa prática pode ser feita pela manhã, normalmente se transformando, com o tempo, em um padrão emocional, bem útil para lidar mais com as emoções em momentos de adversidades.

Observe suas reações diante dos fatos

Cada pessoa reage de uma maneira diferente a situações inesperadas — principalmente se forem negativas. Quando esses sentimentos se acumulam, podem trazer prejuízos mentais e físicos.

Por isso, é essencial prestar atenção às reações que seu corpo tem diante de cada caso, facilitando assim seu modo de lidar com cada emoção.

Invista no poder da gratidão

A gratidão é uma ferramenta extremamente poderosa para trazer crescimento pessoal, já que diz respeito ao ato de reconhecer a dedicação e o esforço do outro em relação a suas necessidades. Ser grato é um modo muito eficiente de se sentir melhor não só consigo mesmo como também com as pessoas a seu redor.

Respeite seu próprio tempo de recuperação

Com o amadurecimento emocional sendo desenvolvido, o respeito pelo período necessário para a recuperação sentimental tende a ser cada vez mais valorizado. É preciso lembrar, afinal, que cada pessoa sente de uma forma e lida com as situações da sua própria maneira.

Nesse momento, o importante é entender que não existe um tempo certo, previamente determinado, para lidar com situações difíceis. Tampouco há um manual que dite um passo a passo a seguir. Por isso, o que se tem a fazer é ter paciência e respeitar seu tempo de recuperação, sem excessos, cobranças ou pressão.

Neste post, falamos sobre a importância de se preparar para lidar com situações inesperadas (das quais ninguém está livre), como casos de doenças na família ou morte dos pais e outros familiares.

Por mais difícil que seja pensar no assunto, é melhor fazer esse exercício desde já, elaborando um bom planejamento para, em momentos de grande carga emocional como esses, conseguir ter um pouco mais de tranquilidade.

Por fim, se quiser saber mais sobre o tema ou receber conteúdos exclusivos sobre o mercado e nossas soluções, assine nossa newsletter!

seguro ideal

  • Publicado

    16 de abril de 2019

  • Categoria

    Educação Financeira

  • Tags Relacionadas

    Família