Fuja do sufoco com o programa rascunho do Imposto de Renda

Fuja do sufoco com o programa rascunho do Imposto de Renda

Você passou algum aperto na hora de declarar o imposto de renda do ano passado? Perdeu tempo precioso procurando pelos os recibos? Ou ficou em casa na noite de sexta-feira para enviá-la sem estourar o prazo? E ainda tem as consequências: caiu na malha-fina por algum erro de preencher tudo na correria ou acabou pagando multa para a Receita Federal por entregar atrasado. Rolou uma identificação? Então, vale a pena saber que dá para se antecipar este ano, existe o programa Rascunho do imposto de renda. Ele ainda é meio desconhecido, mas já existe há três anos e, afinal, o que faz o tal programa rascunho? Como o próprio nome diz, é uma versão rascunho do programa gerador da declaração IRPF, permitindo que sua declaração seja preenchida durante o ano todo, do jeito que você preferir, sem precisar esperar o lançamento da versão final, sem corre-corre.

Para relembrar: declarará imposto quem recebe rendimentos tributáveis, acima de um valor fixado pela Receita Federal. Em 2016, este valor foi de R$ 28.123,91, logo… todos aqueles que receberam acima desta quantia precisaram preencher a declaração de renda. Há outros critérios para ser obrigado a prestar contas, como ter bens avaliados acima de R$ 300 mil. E, claro, há quem está isento e não precisa declarar o imposto.

E será que é uma boa ideia? Bom, imagine organizar-se como achar mais confortável e preencher semanalmente, mensalmente, ou à medida que os seus recibos de rendimentos tributáveis chegarem. Se você leu até aqui e se identificou numa daquelas perguntas do começo, o programa rascunho pode ser o diferencial para não errar no ano que vem.

Então, para fugir do sufoco, para que nunca se reputa, que tal testar o programa rascunho do imposto de renda e aprender truques de organização?

1. Use o programa Rascunho IRPF 2017 (use mesmo!)

O programa está disponível para download na página da Receita Federal desde março e é de uso opcional. Como falamos, ele foi feito para facilitar o preenchimento da declaração IRPF 2017, pois todos os dados serão transportados para a versão final.

Confira a página dele na Receita Federal

2. Separe um envelope para juntar todos os recibos. Serve uma pasta

Uma pergunta: é mais fácil deixar para garimpar todos os papéis em cima da hora ou separá-los no mesmo envelope ao longo do ano? E qual traz mais tranquilidade? Reunir os recibos de despesas dedutíveis, como os gastos com saúde e educação, vai transformar a declaração do Imposto de Renda em uma moleza. Mais uma vez, lembre-se que os dados do programa rascunho do IRPF serão importados para a declaração final do Imposto de Renda.



3. Como importar dados no imposto de renda e ter certeza de que nada será perdido quando computador falhar?

Sabia que dá para importar dados da declaração anterior? A esta altura, quase todo mundo sabe, mas não custa lembrar: ao começar uma nova, escolha a opção que permita importar dados já preenchidos um ano antes.

Vai que você perde o seu computador e não tem como recuperar nada? Apesar de não querermos problemas com o computador, eles acontecem. E é por isso que vale a pena procurar o arquivo .dec na pasta na qual o programa do IRPF 2016 está instalado – é neste arquivo que estão todas as informações da sua declaração. Todas as informações e tudo preenchido. Tente criar uma cópia de segurança em um serviço de hospedagem na nuvem, como o Google Drive ou o OneDrive. Se achar mais fácil, mande um e-mail para si mesmo com o anexo.

4. Não deixe para última hora

As dicas parecem – e são – bem fáceis de manter, só que é preciso começar. E às vezes você acaba deixando para começar mais tarde, um pouquinho depois. Até que vira atraso e correria. O programa rascunho pode adiantar muito a sua vida – e a de um monte de contribuintes – caso já tenha se atrapalhado com o prazo da entrega do IR alguma vez na vida. Ele é a oportunidade perfeita para criar uma nova rotina para ter atenção com o Fisco sem acabar se descabelando e sem perder tempo.

Com essas dicas e com tudo pronto é só entregar o seu IRPF 2017 quando a hora chegar. O prazo é maior para consertar qualquer erro e não cair na malha fina e não pagar multas. Ah! Quem declara antes, recebe a restituição antes! E este dinheiro pode ser usado para pagar uma dívida ou se transformar num pequeno investimento. Já pensou?

Leia mais: Veja como usar melhor sua restituição