Saiba tudo sobre aposentadoria por idade

Saiba tudo sobre aposentadoria por idade

Você já se perguntou quando é a hora certa de começar a pensar na aposentadoria? Mesmo para quem opta pela aposentadoria por idade, é preciso iniciar um planejamento com bastante antecedência, a fim de conquistar a tranquilidade necessária para aproveitar o futuro. Por isso, o momento ideal para encarar esse assunto é agora!

Infelizmente, no Brasil, após pararem de trabalhar, muitas pessoas recebem um valor muito abaixo do que gostariam. Entre esses indivíduos, um dos erros mais comuns é enxergar a aposentadoria como um gasto, quando, na verdade, ela é um investimento.

Isso significa que quanto mais cedo você começar a cuidar desse assunto, melhor será a sua qualidade de vida após o término das atividades profissionais.

Quer saber tudo sobre aposentadoria por idade e entender como você pode se preparar para ter um ótimo futuro? Então, não deixe de ler todo este post!

Entenda o contexto da aposentadoria no Brasil

Quando falamos em aposentadoria por idade, não podemos deixar de refletir sobre o acelerado envelhecimento da população de nosso país.

Já sabemos que viveremos bem mais do que as gerações que nasceram antes do processo de industrialização e urbanização, devido aos excelentes avanços no campo da medicina, saneamento básico e outros aspectos que melhoraram significativamente nossa qualidade de vida.

seguro ideal

De acordo com o IBGE, a quantidade de adultos entre 30 e 59 anos subiu de 36,2% em 2005 para 41% em 2015 na população brasileira; já o número de idosos (mais de 60 anos) subiu de 9,8% para 14,3% no mesmo período, o que mostra que a taxa de natalidade foi reduzida e o número de aposentados em algum momento se tornará maior do que a quantidade de pessoas ativas no mercado de trabalho.

Além disso, há, hoje, no Brasil, uma discussão em torno dessa modalidade de aposentadoria, com mudanças já realizadas pelo governo e com expectativas de novas alterações, por meio da reforma da Previdência Social, que vamos explicar a seguir.

Continue lendo para entender as regras da aposentadoria por idade e por tempo de contribuição, o que é e como calcular o fator previdenciário e também quando e como dar entrada na modalidade.

Conheça as regras da aposentadoria

aposentadoria por idade

A idade mínima para o trabalhador dar entrada no processo de aposentadoria via Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), atualmente, é de 60 anos para mulheres e 65 anos para homens. Quem trabalha na zona rural pode dar entrada na aposentadoria com 5 anos a menos: 55 anos para mulheres e 60 anos para os homens.

Também é importante saber que, para solicitar a aposentadoria por idade, é necessário ter contribuído para o INSS por pelo menos 15 anos.

Para trabalhadores com registro de carteira de trabalho, a obrigação de pagar as prestações do INSS é do empregador. Já os trabalhadores autônomos devem fazer a contribuição diretamente para o Instituto. Procure um contador de confiança para te ajudar a preencher o carnê e calcular os tributos.

Ter isso em mente é fundamental, sendo uma preocupação e um cuidado que devem ser tomados ao longo da vida do trabalhador, evitando, assim, surpresas desagradáveis na hora de se aposentar.

O ideal é acompanhar seu extrato previdenciário junto ao INSS sempre que trocar de emprego e guardar seus holerites ou comprovantes de pagamento para provar qualquer incompatibilidade.

Trabalhadores com deficiência e militares das Forças Armadas seguirão um regime específico. Servidores públicos e policiais fazem parte da mesma regra de idade e tempo mínimo de contribuição que trabalhadores de empresas.

Perspectivas de modificação das regras com a eventual aprovação da Reforma Previdenciária

Também é fundamental acompanhar a movimentação política pela qual o Brasil está passando. Há, no Congresso Nacional, uma proposta de alteração nas regras da previdência que, entre outros fatores, indica mudança na idade mínima da aposentadoria por idade.

Em uma das últimas alterações desse projeto de reforma (PEC 282/2016), a Consultoria Legislativa publicou um documento no qual propõe que a idade mínima para a aposentadoria das mulheres seja de 62 anos e para os homens, 65.

Por mais que a reforma ainda não tenha sido aprovada, é muito importante acompanhá-la para estar por dentro das novas regras e já se adequar ao projeto. Saiba que haverá uma regra de transição: hoje, para homens acima de 50 anos e mulheres com mais de 45 anos, será acrescido um valor de 50% sobre o tempo que restava para se aposentar.

Compreenda como o fator previdenciário pode entrar a seu favor

Você já ouviu falar no fator previdenciário? É, basicamente, o multiplicador aplicado ao cálculo da aposentadoria que leva em conta o tempo de contribuição, idade no momento da aposentadoria, expectativa de vida e alíquota de contribuição.

A vantagem para solicitar a aposentadoria por idade é que o fator previdenciário pode ser desconsiderado no momento do cálculo do benefício, dependendo da variação no valor final a ser recebido.

Veja um exemplo prático: se o fator previdenciário for inferior a 1, o contribuinte poderá escolher não aplicá-lo ao cálculo da aposentadoria; já se o fator for superior a 1 (o que resultaria em um maior valor de benefício), poderá ser incluído no cálculo.

Tanto online, quanto pelo site da Previdência Social ou junto às agências físicas de atendimento ao contribuinte, é possível obter informações mais detalhadas. Consulte esses meios para sanar todas as suas dúvidas!

Veja as diferenças entre aposentadoria por idade e por tempo de contribuição

Outra forma prática de entender como funcionam as aposentadorias é comparando as modalidades — por idade e por tempo de contribuição. Veja alguns pontos fundamentais de cada:

Aposentadoria por idade

Conheça 3 características dessa categoria:

• atualmente, a idade mínima para solicitar o benefício é de 60 anos para mulheres e 65 anos para homens;

• os trabalhadores rurais têm um diferencial: podem solicitar o benefício aos 55 anos no caso das mulheres e aos 60 anos no caso dos homens;

• para utilizar essa opção, atualmente, é necessário ter contribuído ao INSS por pelo menos 15 anos.

Aposentadoria por tempo de contribuição

Estes são os 4 pontos mais importantes que você deve conhecer sobre essa modalidade de aposentadoria:

• existem duas opções possíveis: benefício integral ou proporcional;

• para a aposentadoria integral, os homens precisam contribuir para o INSS por pelo menos 35 anos; já as mulheres devem ser contribuintes por um mínimo de 30 anos;

• no caso da aposentadoria proporcional, o contribuinte precisa ter idade mínima e tempo de contribuição determinados pela regra, que vale para ambos os sexos;

• mulheres a partir dos 48 anos com 25 anos de contribuição e homens a partir dos 53 anos com 30 anos de contribuição podem optar pela aposentadoria proporcional.

Saiba como dar entrada na aposentadoria por idade

Agora que já entendemos o que é e como funciona atualmente a aposentadoria por idade, vamos ver como proceder para solicitá-la junto à Previdência Social.

Caso você esteja dentro das condições necessárias para solicitar a aposentadoria por idade (enquadra-se nos requisitos apresentados acima, no item “Conheça as regras”), já pode dar início ao pedido para começar a receber o seu benefício.

O primeiro passo para dar entrada nesse processo é agendar o seu atendimento por meio do site ou pela central de atendimento do Ministério da Previdência Social, pelo telefone 135 (de segunda-feira a sábado, das 7h às 22h — horário de Brasília).

Para obter mais informações sobre como agendar a aposentadoria por idade, clique neste link.

Será que o dinheiro da aposentadoria por idade será suficiente?

Não podemos deixar de mencionar uma preocupação recorrente no Brasil: a defasagem dos valores dos benefícios da aposentadoria por idade em relação às necessidades reais dos aposentados.

Quando nos aposentamos, o benefício pago pelo INSS é mais baixo que o salário dos tempos da ativa. Você já parou para pensar que o dinheiro da aposentadoria pode não ser o suficiente para você manter o seu padrão de vida? O que fazer nessa situação?

Se você nunca pensou a respeito, saiba que não está sozinho. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Datafolha no início de 2017, apenas 10% dos brasileiros contratam previdência privada, um tipo de investimento de longo prazo que é muito útil para ser usado como renda complementar.

Não se preocupar com a aposentadoria, afirmam especialistas, é uma característica forte do brasileiro, devido à crença de que a Previdência Social sempre funcionará. Sobretudo para aqueles que não têm outras fontes de rendimento, outra questão é o teto da previdência social, deixando-os vulneráveis no caso de uma emergência e até mesmo na manutenção de uma boa qualidade de vida durante a velhice.

Confira como planejar uma boa aposentadoria por idade

aposentadoria por idade

Organize a vida financeira primeiro

Para colher bons frutos no futuro, é preciso se preparar no presente. Logo, se você deseja economizar, aplicar e ver o seu dinheiro render para a sua aposentadoria, deve, primeiro, organizar a sua vida financeira em todos os detalhes.

Para planejar uma aposentadoria por idade tranquila, comece colocando em ordem o seu orçamento mensal e elaborando um planejamento com metas factíveis de economia a cada mês. Não se esqueça de que ter disciplina para seguir esses planos é fundamental para o seu sucesso.

No sentido de organização financeira, procure evitar ao máximo tomar empréstimos e fazer financiamentos. Em vez disso, planeje-se para economizar e investir o seu dinheiro para realizar conquistas maiores. Ao fazer compras à vista, você consegue negociar melhores valores e obter mais descontos sem perder dinheiro com juros.

Tenha o cuidado de incluir todos os seus gastos e ganhos mensais em uma planilha orçamentária e faça o possível para que suas metas sejam cumpridas.

Organize o seu orçamento separando uma quantia para investimentos e aplicações, mas também lembre-se de destinar um montante para lazer, de modo que compras supérfluas e gastos por impulso não interfiram no seu hábito de economizar.

Equilíbrio entre o presente e o futuro é fundamental para você atingir seus objetivos. Assim, uma boa organização financeira é a base para que você monte seu planejamento para a aposentadoria e faça com que o dinheiro trabalhe por você, e não o contrário.

Comece o quanto antes

Quanto mais jovem uma pessoa é, mais raro é que ela pense em realizar investimentos durante longos períodos, como 30 ou 40 anos, para alcançar algo em um futuro bem distante.

É o caso de uma previdência privada, por exemplo, que é um investimento que visa um prazo muito longo e que acaba “ficando para depois” em muitos planejamentos. Porém, ações como essa podem trazer dificuldades mais adiante.

Por outro lado, quando você começa o seu planejamento de aposentadoria logo cedo, tem dois principais benefícios:

• mais tempo para aumentar o recebimento mensal para quando estiver aposentado;

• maior flexibilidade para realizar os aportes mensais necessários.

Imagine o seguinte cenário: você tem 20 anos e deseja investir R$ 200 por mês para começar a receber o seu benefício aos 65 anos. Nesse caso, ao investir em uma aplicação que pague 100% do CDI (uma média de 7,39%), assim que terminarem as contribuições, você receberá mensalmente cerca de R$ 1.461,36, já contando a inflação.

Agora, no caso de começar essa aplicação com 30 anos, a situação muda de cenário: você receberia aproximadamente R$ 448,55 — uma grande diferença.

Por esses motivos, a ideia é que você comece a se planejar sua aposentadoria o quanto antes e que também estude quais os melhores investimentos para esse propósito.

Estipule quanto quer ter de renda depois que parar de trabalhar

Pode parecer óbvio, mas é extremamente importante que você estipule um objetivo claro ao investir o seu dinheiro. Isso porque essa definição pode fazer diferença na hora em que você pensar no valor que quer receber lá na frente.

Como você viu na simulação anterior, investir uma quantia pequena por mês pode render um resultado minúsculo em retorno da aposentadoria. Se você deseja receber um salário de R$ 2 mil na velhice, será necessário aportar mais do que R$ 200 mensais.

Por isso, o objetivo claro e os levantamentos de hipóteses acabam sendo sempre os grandes aliados do investidor. Ao saber o quanto você quer receber lá na frente e fazer cálculos para entender o quanto precisa investir por mês, você criará um caminho mais simples de ser trilhado.

Para entender quanto quer ganhar, reflita sobre as perguntas abaixo.

• Qual é a minha média de custo de vida atual?

• Qual será o meu padrão de vida futuro?

• Quanto precisarei para viver bem por mês?

É verdade que cada caso é único, mas é possível fazer estimativas simples baseando-se na sua renda e padrão de vida atual.

Para viver, um aposentado, normalmente, precisa de cerca de 70% do que ganhava na ativa. Mesmo que os custos com saúde costumem subir com o avanço da idade, os gastos básicos — com educação de filhos, por exemplo — caem drasticamente.

Avaliar esses fatores garante dois grandes benefícios: clareza e previsão do resultado. A clareza, ou um objetivo claro, permite que você entenda exatamente o que quer e o que deve fazer para buscar isso.

Já a previsão do resultado vem atrelada aos levantamentos. Se você deseja obter uma renda de R$ 4 mil, mas, nos seus cálculos, percebeu que precisará aportar mensalmente mais do que pode, significa que algumas coisas devem ser mudadas para que atinja o seu objetivo.

Em casos como o do exemplo, buscar uma renda extra é uma opção muito válida. Mas, antes, você precisa entender se essa é uma medida realmente necessária ou se podem ser feitos ajustes na sua quantidade de gastos. Essa compreensão profunda é atingida quando você tem um objetivo claro em mente.

Considere investir em um plano de previdência privada

A previdência privada é um importante investimento de longo prazo. Como o próprio nome sugere, ela não está ligada ao sistema do INSS, sendo uma responsabilidade individual.

E o mais importante: ela é regulamentada e fiscalizada pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), um órgão do governo federal — leia aqui: Quando Começar uma Previdência Privada?

Ao contratar um plano, você pode escolher o valor da contribuição, o período pelo qual ela ocorrerá, a remuneração que deseja obter e também quando resgatá-la de acordo com o seu planejamento financeiro, sempre considerando o que foi firmado em contrato com a seguradora.

Na Previdência Privada Vida Toda, oferecida pela Mongeral Aegon, por exemplo, é possível fazer aplicações mensais a partir de R$ 100 e garantir um futuro mais tranquilo, com uma renda complementar adequada ao padrão de vida que deseja ter.

Ela pode ser contratada nas modalidades PGBL ou VGBL tanto em tributação progressiva quanto em tabela regressiva. Dessa forma, você faz uma reserva e estabelece um planejamento de resgate respeitando suas finanças.

Conforme mencionado, a aposentadoria deve ser encarada como um investimento. Quanto melhor você se planejar e quanto maior o valor que conseguir juntar, mais tranquilidade terá após o encerramento das atividades profissionais.

E então, como está o seu planejamento para a aposentadoria? Já sabe como manter seu padrão de vida durante a velhice? Entendeu como funciona a aposentadoria por idade? Tenha ainda mais informações sobre investimentos e aposentadoria. Leia o artigo “Saiba como planejar a aposentadoria”!

materiais educativos