Seguro de vida: três coisas que você deve saber

Seguro de vida: três coisas que você deve saber

São muitas as dúvidas que cercam o tema seguro de vida. Separamos algumas delas para mostrar a você que, além de muito importante, ter um seguro de vida é muito mais fácil do que você imagina.

Para que serve um seguro de vida?

Muitas pessoas imaginam que o seguro de vida tem apenas uma cobertura: a de morte. Este é um pensamento comum e faz com que muitas pessoas não vejam a importância de contratar um plano.

O seguro, na verdade, é voltado para a cobertura de três riscos aos quais todos nós estamos expostos. A morte, claro, a invalidez e a sobrevivência. Sim, sobreviver, principalmente em um cenário de mudança da pirâmide etária e déficit da Previdência Social.





Mas, qual risco social eu devo me preocupar?

Todos nós devemos nos preocupar com os três riscos. No entanto, a necessidade de proteção de cada um pode variar conforme a composição familiar e a estrutura financeira. Vamos a alguns exemplos:

Um homem de 35 anos, casado, com dependentes financeiros e que é responsável por parte do orçamento familiar certamente precisa de um produto com a cobertura de morte, para que seus beneficiários estejam amparados no caso de falta. No entanto, também é importante pensar em cobertura de invalidez para uma eventual necessidade de afastamento do trabalho, seja por acidente ou doença, temporária ou permanente, uma vez que isto pode impactar diretamente a sua capacidade de gerar renda. Pensando no futuro, este homem também poderia planejar a contratação de um plano de previdência, principalmente se a sua projeção de salário até a aposentadoria superar o teto do INSS.

Já uma mulher jovem, em início de carreira, sem dependentes financeiros, pode se preocupar com a sua capacidade de gerar renda e optar por produtos voltados para a invalidez, além de pensar na sua previdência.

Como você pode perceber os produtos a serem contratados dependem da necessidade de cada indivíduo. Para você entender melhor o que você precisa, é importante receber a consultoria de um profissional especializado, ou seja, um corretor de seguros de vida e previdência, que apresentará a você as melhores soluções.

Tenho que declarar o quanto eu pago pelo seguro no Imposto de Renda?

Quando estamos fazendo a nossa declaração de Imposto de Renda muitas dúvidas podem surgir. O valor pago por você para a manutenção da mensalidade do seu seguro de vida não precisa ser declarada ao leão, diferentemente de um plano de saúde, por exemplo.

Vale lembrar, no entanto, que alguns produtos permitem que você obtenha benefícios fiscais, ou seja, abater no Imposto de Renda. Os clientes da Mongeral Aegon que possuem os planos de previdência PGBL ou os produtos pensão por morte e renda por invalidez podem deduzir o valor equivalente a até 12% da renda bruta anual. Mas lembre-se! Para ter esse benefício, é preciso fazer a declaração completa.

Ficou interessado em saber mais sobre seguro de vida? Leia aqui quatro dicas para comprar um ou conheça nossos produtos.





  • Publicado

    04 de outubro de 2016

  • Categoria

    Educação Financeira

  • Tags Relacionadas

    Seguro de vida