Como garantir uma reserva de emergência para a saúde dos filhos?

Como garantir uma reserva de emergência para a saúde dos filhos?

Quem é pai e mãe sabe: imprevistos são parte da rotina de criação dos filhos. E a saúde é sem dúvida um dos motivos de maior preocupação com as crianças. Não é incomum elas que adoeçam bem no meio do mês (quando o salário já está curto), ou que os gastos com o tratamento sejam maiores do que os que cabem no seu bolso.

Como a situação é frequente durante todo o processo de crescimento dos filhos (até mesmo quando eles já são adolescentes), o melhor é se preparar para que ela não seja um tormento! Para isso, o melhor conselho é criar uma reserva de emergência.

Quer saber como fazer um pé-de-meia para a saúde dos seus filhos e viver sem sustos? Confira as 7 dicas que preparamos para você!

Conheça seus gastos

A primeira dica para criar uma reserva consiste em conhecer muito bem quais são os seus gastos. Só sabendo bem para onde está indo o seu dinheiro você será capaz de dizer o que deve ficar e o que pode sair do seu orçamento.

Como a intenção é começar a guardar dinheiro o quanto antes, o ideal é começar cortando todos os gastos desnecessários. Você pode começar, por exemplo, diminuindo alguns gastos com lazer (como aquelas idas frequentes ao shopping), optando por um pacote mais enxuto de TV a cabo e internet, pesquisando mais antes de comprar o material escolar dos seus filhos, eliminando desperdícios com itens de alimentação menos saudáveis, entre outros.

Fazer um levantamento das suas prioridades mantém você de olho vivo nos ralos por onde seu dinheiro vai embora, favorecendo o planejamento financeiro e garantindo as reservas necessárias para eventualidades.




Estabeleça metas de economia

Tão importante quanto otimizar seus gastos é definir metas de economia. Essa etapa é necessária porque se você deixar para poupar o que der, são grandes as chances de que você termine não poupando nada. Com metas definidas, é mais fácil entender exatamente o quanto você precisa guardar por mês.

Em geral, o ideal é guardar de 20 a 30% de todos os seus rendimentos por mês. Em menos tempo do que você imagina, isso garantirá uma folguinha no seu orçamento. Se esse valor ainda for muito elevado para suas possibilidades, tente poupar 15 ou mesmo 10% do que entra. À medida que você for ajustando as finanças, pode também ir aumentando suas metas!

Faça uma poupança mensal

Para montar as bases da sua reserva financeira, a dica é abrir uma poupança e engordá-la com o valor definido por você como meta mensal. Deixe para acrescentá-lo no aniversário da conta, para ter o máximo de rendimento, e procure fazer um depósito único e mais generoso.

Essa é uma excelente forma de começar a acumular patrimônio de maneira segura e com bastante liquidez, permitindo que você possa usar o dinheiro a qualquer momento em que seja necessário!

Além disso, para não cair na tentação de gastar o que deveria ser poupado, uma estratégia infalível é colocar o dinheiro na poupança assim que recebê-lo. Dessa forma, você evita desviar dinheiro da reserva de emergência para a saúde dos filhos.

Invista seu dinheiro

Por mais que a poupança ainda pareça a forma mais segura e vantajosa de poupar dinheiro, devido à sua liquidez, ela tem um rendimento baixo. Em tempos de inflação alta, ela pode até perder valor de um ano para o outro.

Sendo assim, por que não buscar outras opções de investimentos com melhor rentabilidade? Não é preciso abrir mão da segurança e liquidez, já que você pode investir, por exemplo, nos certificados de depósito bancário (o famoso CDB) e em títulos no Tesouro Direto, que aliam estabilidade a ganhos mais interessantes!

Se você já tem um grande valor disponível, também pode investir em ações que paguem rendimentos semestrais, por exemplo. O importante é diversificar as opções e manter o dinheiro o mais líquido possível para que você possa usar quando mais precisar.

Crie renda extra

Muita gente tem um lado empreendedor escondido dentro de si. Já pensou que pode ser o seu caso? Uma maneira mais ousada de engordar a sua reserva de emergência é investir em um negócio que lhe dê uma renda extra! Você pode adquirir uma franquia, por exemplo, contratar um profissional para administrá-la e colher bons rendimentos.

Outra opção é abrir uma sociedade com os amigos, ou se tornar sócio-investidor de uma empresa com bons resultados. Nesse caso, porém, vá com calma. Além de exigir uma quantidade considerável de dinheiro, esse é um investimento que demanda um tempo maior para lhe dar o primeiro retorno.

Em todo o caso, mesmo que decida investir na criação de uma renda extra vinda de um negócio, não deixe de manter seus outros investimentos, incluindo a boa e velha previdência privada!




Busque uma ocupação remunerada além do trabalho

Ter mais de uma fonte de renda pode ajudar — e muito — a aumentar sua reserva de emergência de maneira adequada. Para isso, você também pode buscar uma ocupação remunerada além do seu trabalho.

Você tem alguma habilidade ou talento não aproveitado na sua profissão? O que acha de usá-lo para criar uma fonte de renda extra nas horas vagas? É claro, esse tipo de atividade vai depender da disponibilidade e da qualidade que você tem a oferecer ao mercado, mas é uma boa forma expandir seu orçamento. Pense numa atividade que, além de dinheiro, possa ser um momento de distração e lazer para você. Há muita gente por aí transformando hobbies em negócios de sucesso!

Além disso, como suas finanças não dependem diretamente desse dinheiro extra, ele pode ir inteiramente para a reserva, o que facilita alcançar sua meta!

Mantenha o foco e o controle

Não adianta ter uma reserva de emergência bem recheada em um mês se no mês seguinte você gasta mais da metade dela com coisas não relacionadas à saúde dos filhos. Por isso, é fundamental manter o foco e o controle.

Coloque a reserva de emergência como a prioridade do seu orçamento e procure, tanto quanto possível, não abrir mão de guardar dinheiro todo mês. Para melhorar, você pode sempre destinar rendimentos inesperados para esse fundo.

Além disso, também é vital controlar os gastos. Mantenha a primeira dica em dia: continue sempre de olho neles, para evitar desperdícios e garantir que o dinheiro esteja lá quando você mais precisar dele!

Mantendo a disciplina e a organização no orçamento, buscando bons investimentos e criando renda extra, ter uma reserva de emergência para a saúde dos filhos vai ser bem mais fácil do que você imagina! Ainda assim, para situações extremas, é fundamental contar também um seguro de vida, de modo a garantir a total tranquilidade da sua família.

Quer continuar aprendendo sobre educação financeira e muito mais? Então siga nossos perfis no Facebook, Instagram e Youtube!