Padrão de vida: você vai conseguir manter o seu no futuro?

Padrão de vida: você vai conseguir manter o seu no futuro?

O padrão de vida está relacionado à qualidade e à quantidade de bens e serviços que estão disponíveis para um indivíduo. Bom, pelo menos essa é a definição técnica do conceito. Em termos práticos, porém, ela soa um tanto vaga, não acha?

De maneira geral, podemos dizer que o padrão de vida é o reflexo das seguranças financeiras que temos no presente, resultados das escolhas que fizemos no passado. Da mesma forma, nosso padrão de vida futuro será impactado pelas escolhas que estamos fazendo hoje.

Conhecer e investir em garantias financeiras é fundamental para manter o padrão de vida e assegurar um futuro muito mais tranquilo. Antes de tudo, porém, é preciso efetivamente conhecer seu padrão de vida!

Ficou interessado em saber mais sobre o assunto? Basta continuar com a leitura!

Por que conhecer seu padrão de vida?

Conhecer seu padrão de vida é essencial para mantê-lo ou melhorá-lo. Esse é o primeiro passo para que você possa buscar os meios necessários para preservar ou dar um up na sua qualidade vida.

Todos temos um padrão de vida. A diferença é que algumas pessoas sabem disso e outras não!

Quem sabe qual é seu padrão de vida está em vantagem, já que pode tomar atitudes para percorrer um caminho mais tranquilo. Conhecendo sua realidade, você pode, por exemplo, eliminar dívidas ou criar garantias financeiras para o futuro.

seguro ideal

Como identificar seu padrão de vida?

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, o padrão de vida não está ligado apenas à renda, mas também à forma como o dinheiro é gasto.

Imagine alguém que tem um excelente salário, mas que gasta quase tudo o que ganha ou, pior ainda, gasta mais do que recebe.

Agora pense em uma pessoa que não ganha tão bem assim, mas que consegue manter seus gastos abaixo de sua renda e não cria dívidas ao longo do mês. Adivinhe quem tem um melhor padrão de vida? Sim, a pessoa que ganha menos!

Falamos no início do post que o padrão de vida está relacionado à quantidade de bens e serviços disponíveis para uma pessoa. É de se imaginar, então, que quem ganha mais tem um padrão de vida melhor, não é mesmo? Mas é preciso ficar atento ao termo “disponíveis”.

Uma pessoa com um ótimo salário só que sem controle sobre seus gastos pode até dirigir um carro de luxo do último ano, mas é bem provável que a maior parte desse automóvel não pertença a ela, mas a uma financeira.

Por outro lado, é provável que uma pessoa com uma renda menor, mas que não gasta mais do que recebe, dirija um carro não tão novo, mas que não é financiado. Se o veículo pertence 100% a ela, está de fato disponível. Simples, não?

De maneira geral, o nível de endividamento é um excelente termômetro para medir nosso padrão de vida.

Pense: você consegue atender adequadamente as suas necessidades sem depender do cheque especial ou de recursos similares todo mês? Se sua resposta foi sim, mesmo que você não more no condomínio mais luxuoso da cidade, saiba que tem um bom padrão de vida.

Por outro lado, se você fecha o mês sempre no vermelho, se não sobra nada e ainda cria dívidas, mesmo que tenha uma excelente renda e ostente alguns luxos, seu padrão de vida não é tão bom quanto aparenta.

Como manter o padrão de vida?

Uma forma simples e eficiente de manter o padrão de vida é reservando uma parte da renda para realizar investimentos e buscar garantias para o futuro. Fatores como aposentadoria, perda do emprego e problemas de saúde são capazes de corroer não apenas o padrão de vida, mas também seu bem-estar.

O ideal, portanto, é agir agora para garantir segurança financeira no futuro. Confira a seguir algumas medidas que você pode adotar nesse sentido!

padrão de vida

Compras planejadas

O primeiro passo é reprogramar sua mente em relação aos gastos. Aí entram as compras por impulso, extremamente prejudiciais para o orçamento, uma vez que tomam o espaço de outros cuidados importantes, que realmente fazem diferença no padrão de vida.

Elabore um planejamento financeiro, evite gastos supérfluos e faça compras levando em consideração não apenas a marca do produto, mas também sua qualidade e durabilidade, além de suas reais necessidades, claro! Só assim você conseguirá ter tranquilidade, guardando dinheiro para manter um padrão de vida estável no longo prazo.

Previdência privada

Na maioria dos casos, a aposentadoria gera uma perda significativa de renda. E isso justamente em uma época da vida em que os gastos aumentam!

Para não ter que se preocupar demais com isso, o ideal é buscar planos de previdência privada para manter seu padrão de vida mesmo na aposentadoria. Pense na previdência privada não como um gasto mensal, mas como um investimento que será resgatado daqui a alguns anos.

Reserva financeira

Crises econômicas, desemprego, perdas monetárias ocasionadas pela inflação e tantos outros imprevistos podem ser mais facilmente contornados com uma reserva financeira.

O ideal é que você guarde o valor equivalente a pelo menos 6 meses de renda. Dessa forma, não será pego desprevenido quando se deparar com algum problema financeiro, tendo tempo e serenidade para reorganizar sua vida e suas finanças.

Seguro de vida

Para que você e seus familiares não fiquem desamparados em casos de doenças graves, invalidez ou até morte, que tal contratar um seguro de vida com coberturas compatíveis com suas necessidades? Assim, você terá a ajuda necessária para que o padrão de vida não sofra uma queda inesperada em decorrência de fatalidades.

Neste post, você viu que o padrão de vida depende muito mais de como gastamos nosso dinheiro do que de quanto efetivamente ganhamos. Para ter qualidade de vida, é necessário administrar conscientemente as finanças e tomar algumas medidas preventivas, como criar uma reserva financeira, buscar um plano de previdência privada e contratar um seguro.

Por fim, se gostou do conteúdo, compartilhe este post em suas redes sociais! Debata o assunto com seus amigos para que eles também saibam como manter seu padrão de vida!

materiais educativos