Organização financeira: 7 dicas para manter uma vida equilibrada

Organização financeira: 7 dicas para manter uma vida equilibrada

O conceito de organização financeira vai além de manter as contas em dia. Ele prevê também ter noção do quanto ganha e gasta e, principalmente, saber com precisão para onde está indo seu dinheiro.

Entre os benefícios de ter a vida financeira organizada, estão: investir seus recursos financeiros naquilo que é de fato importante, evitar fazer novas dívidas e garantir um futuro tranquilo para você e sua família.

Há algumas práticas eficientes para manter as finanças em dia, como gastar menos do que ganha, quitar suas dívidas, ter um fundo de emergência, definir quais são seus objetivos financeiros e estabelecer metas de despesas.

Quer ver os detalhes de como manter uma vida equilibrada e a organização financeira em dia? Continue a leitura e descubra!

Como manter a organização financeira?

1. Saiba qual é a real situação das suas finanças

organização financeira

O primeiro passo para organizar a vida financeira é saber qual é a real situação das suas finanças. Analise seu extrato bancário, a fatura de cartão de crédito e outras entradas e saídas da conta. Descubra se você gasta mais do que ganha e, principalmente, em que categorias do orçamento estão suas principais despesas.

Nessa análise, não deixe de prever também os gastos futuros, como impostos, e possíveis dívidas. Depois de saber exatamente para onde está indo seu dinheiro e se as finanças estão em equilíbrio (com as receitas superando as despesas), você pode traçar um plano de ação para sua vida financeira.

Considere, por exemplo, metas de gastos para cada categoria do orçamento e previsão de quanto terá disponível para investimento.

2. Gaste menos do que ganha

Depois de fazer uma análise cuidadosa das finanças, é hora de partir para ação. Se suas receitas superam os custos, boa notícia! Agora é trabalhar para manter o equilíbrio.

Já quem gasta mais do que ganha não pode perder tempo: é preciso cortar despesas e/ou aumentar as entradas em conta a fim de reverter esse quadro.

No geral, há muitos gastos que podem ser cortados ou reduzidos, como:

• idas a bares e restaurantes;

• despesas com cuidados pessoais, como tratamentos estéticos e academia;

• compras de supérfluos, como maquiagem, roupas e outros itens que não são essenciais no dia a dia.

Não é preciso abrir mão de coisas que dão prazer. Mas que tal optar por alternativas mais baratas e priorizar aquilo que é realmente importante? Assim você vai voltar a ter as finanças em dia. Por exemplo, você pode caminhar no parque em vez de pagar academia, ou encontrar os amigos em casa em vez de sair.

materiais educativos

3. Quite suas dívidas

Quem está endividado precisa ter como prioridade número um acabar com os débitos em aberto. Se está com pagamentos em atraso, busque os credores para propor uma renegociação.

O ideal é começar pelas dívidas que cobram taxas e juros altos, como o cheque especial. Se necessário, cogite se vale a pena vender algum bem para se ver livre de débitos. Também é possível pegar um empréstimo que cobre taxas mais baixas para regularizar sua situação financeira.

4. Crie um fundo de emergência

Um passo essencial para manter as finanças em dia é ter uma reserva para imprevistos, como um problema de saúde na família, um eletrodoméstico quebrado ou uma viagem de emergência.

Ao poupar para criar um fundo de emergência, você evita ter que se descapitalizar ou pedir empréstimo caso tenha que lidar com algum imprevisto.

Crie a reserva com uma quantia equivalente a três meses de despesas mensais, pelo menos. Aplique em um investimento que permita que você retire o dinheiro a qualquer momento sem perder rentabilidade.

5. Defina objetivos financeiros

organização financeira

Outra dica importante para ter uma vida financeira equilibrada é definir quais são seus objetivos de curto, médio e longo prazo. Isso varia de pessoa para pessoa e, entre as possibilidades, estão dar entrada em um apartamento, fazer um MBA ou ter renda compatível com a atual na aposentadoria, por exemplo.

Os objetivos podem mudar de tempos em tempos. No entanto, ter cada um deles na mente com clareza ajuda a tomar as melhores decisões relativas às finanças. Você sabe que todos os sacrifícios que faz — como reduzir gastos com o lazer — são em nome de um propósito maior.

6. Estabeleça metas de gastos

Ter um plano financeiro em mãos é uma das melhores formas de garantir que suas finanças estão sob controle. Nesse sentido, um passo importante é considerar no seu planejamento uma meta de gastos para cada categoria do orçamento. Isso garante que você não terá despesas mais altas do que o que pode assumir no futuro.

Comece pelas despesas essenciais e fixas, como parcela do financiamento ou aluguel, mensalidade da escola etc. Em seguida, liste gastos como contas de consumo. Depois, foque em prioridades como parcelas de dívidas ou investimentos. Distribua o dinheiro que sobrou pelas categorias relativas ao estilo de vida, como viagens, roupas e afins.

Além de criar as metas, é essencial acompanhá-las ao longo do mês para saber se está conseguindo se manter dentro do que estipulou. Caso gaste mais do que o previsto em alguma área, busque compensar em outra para que as finanças fiquem em equilíbrio.

7. Pesquise preços

Uma vida financeira equilibrada passa por fazer escolhas inteligentes no dia a dia. Um passo importante para alcançar esse objetivo é sempre pesquisar preços antes de efetuar qualquer compra. Criar esse hábito evita que você gaste dinheiro desnecessariamente em itens que poderiam ser encontrados por um valor menor em outro lugar.

A internet é uma grande aliada. Use ferramentas como Buscapé e Google Shopping para pesquisar preços e não hesite em pechinchar caso encontre o mesmo produto por um valor mais baixo em outro lugar. Para gastar menos, pagar à vista pode ser uma boa alternativa. Muitas empresas oferecem descontos que podem chegar a 20% para quem opta por essa forma de pagamento.

Estipular limites é a chave para implementar a organização financeira na sua rotina. Mantenha as receitas e despesas sob controle, evite comprar aquilo que não pode pagar e, principalmente, garanta que seu dinheiro está sendo gasto no que é importante para você. Dessa forma, você será capaz de tomar as melhores decisões financeiras.

Conhece alguém que poderia se beneficiar dessas dicas de organização financeira? Compartilhe este post nas suas redes sociais!

seguro ideal

  • Publicado

    14 de março de 2019

  • Categoria

    Educação Financeira

  • Tags Relacionadas

    Finanças pessoais