Quanto do seu orçamento familiar é dedicado a gastos?

Quanto do seu orçamento familiar é dedicado a gastos?

Ter controle sobre o orçamento familiar é um dos principais fatores para manter as finanças em ordem e evitar gastos desnecessários. No entanto, organizar um bom planejamento financeiro nem sempre é uma tarefa fácil, uma vez que nem todo mundo tem consciência de como fazer e principalmente seguir com rigor os objetivos e metas estabelecidas.

Com um gerenciamento doméstico realista e bem estruturado, é possível ter uma gestão eficaz dos ganhos. Dessa forma, você vai conseguir otimizar os recursos disponíveis e facilitar a concretização de todos os projetos familiares, sem passar por apertos no orçamento ou, pior ainda, gerar endividamentos.

Neste artigo, vamos falar sobre o tema e mostrar a importância do orçamento para a vida financeira de uma família, além de explicar como ele deve executado de maneira inteligente e bem-sucedida. Continue a leitura e fique de olho!

A importância de um orçamento familiar sólido

Quanto do seu orçamento familiar é dedicado a gastos?

Um orçamento familiar adequado com a realidade da sua família é um instrumento importante para contabilizar todas as despesas e mensurar o impacto de qualquer gasto que a família realize, desde as despesas fixas até aquelas que não são lembradas e nem contabilizadas efetivamente, como cafezinhos na padaria, estacionamento, pipoca no cinema etc.

Acontece que, quando não se tem controle sobre como o dinheiro é investido ao longo do mês, as chances de usar o dinheiro de modo sustentável tendem a diminuir muito, assim como a possibilidade de ter uma poupança e até mesmo de investir em alguma opção mais vantajosa.

É importante que todos os membros da família se comprometam com o planejamento orçamentário definido e se esforcem para manter a disciplina no cotidiano. Para ajudar nessa tarefa, é indicado fazer o levantamento de todas as despesas (fixas e variáveis) e receitas da casa e tomar decisões pautadas na situação e nos objetivos de cada mês.

Anote todas as despesas e mensure como estão os gastos antes de contrair novas dívidas. Também é importante analisar se aquela compra é realmente necessária ou se dá para esperar um pouco mais.

A ideia é que, ao final de 30 dias, o saldo seja positivo. Isso quer dizer que as receitas devem superar as despesas, caso contrário não vai sobrar nada para investir ou as dívidas serão maiores que os ganhos.

Os tipos de despesa e de renda presentes em um orçamento familiar

O orçamento familiar é composto por despesas e rendas, que precisam ser administradas com sabedoria para que elas sejam aplicadas com harmonia no fim do mês. Confira os tipos de rendas e despesas que podem estar presentes no planejamento orçamentário:

• Exemplos de tipos de rendas presentes no orçamento familiar:

Rendas

Definição

Exemplos

Uniformes ou Fixas

São rendas com valores que não sofrem variação ou que tem um índice pequeno de mudança

Salário

Variáveis

São rendas com valores que estão sujeitos a variações

Comissões e vendas, bônus, etc.

Temporária

São rendas com prazo estabelecido para seu recebimento

Aluguéis

Perpétua

São rendas que não possuem prazo  estabelecido para seu recebimento

Aposentadoria

 

• Exemplos de despesas presentes no orçamento familiar:

Fixas

Variáveis

Mensalidade do financiamento do imóvel ou Aluguel

Mensalidade da escola ou faculdade

Condomínio

IPVA/IPTU

Seguro de carro

Convênio médico ou seguro saúde

Prestação do carro

Plano odontológico

Alimentação

Combustível, estacionamento ou transporte

Energia elétrica, gás e água

Cartão de crédito

Cheque especial

Vestuário

Passeios

Viagens

Cinema

Restaurantes

Farmácia

Como distribuir os ganhos de acordo com as despesas

Dividir a receita familiar do mês de maneira proporcional é um trabalho que exige inteligência emocional, comprometimento e estratégia.

Somente assim será possível conciliar os desejos e necessidades da família com o hábito de poupar e gerar uma poupança, ou mesmo um fundo emergencial para gastos não previstos. Para ajudar nesse caso, pode ser usada uma tabela como:

Gastos

Proporção sugerida

Investimentos e poupança

10% do orçamento ou mais

Despesas referentes aos gastos da casa

entre 8% e 15%

Gastos com alimentação

entre 10% e 20%

Aluguel ou prestação do financiamento do imóvel

entre 25% e 40%

Transporte, carro

entre 15% e 25%

Despesas com saúde

entre 8 e 15%

Despesas pessoais

entre 3 e 5%

Gastos com educação

entre 5% e 10%

Dívidas

no máximo 5%

Total

100%

seguro ideal

4 dicas para manter o orçamento familiar sob controle

Não perca mais tempo para colocar o seu planejamento em prática. Siga estes passos!

1. Eleja o contador da família

Para manter o controle sobre o orçamento familiar, é uma boa ideia escolher um membro da família que será o “contador” responsável por reportar os gastos realizados e manter a planilha atualizada. Como o trabalho exige paciência e atenção, é importante que seja feito por alguém disciplinado e comprometido.

2. Invista em conhecimento

Conhecimento nunca é demais! É fundamental estar sempre em busca de alternativas para otimizar os recursos e melhorar o controle dos gastos. Existem programas específicos e aplicativos para facilitar ainda mais a administração das despesas e gastos. Busque a opção que melhor se adapta à sua realidade!

3. Só gaste com o que for realmente necessário

Gastar por impulso é algo comum e, muitas vezes, pode parecer inevitável comprar aquela roupa nova ou trocar o celular por um modelo mais moderno que está em promoção. Porém, nem sempre esses desejos são realmente necessidades.

Para evitar cair nesse tipo de armadilha, é importante manter o controle emocional e sempre se perguntar se é realmente necessário comprometer seu orçamento para adquirir aquele bem ou se é possível esperar mais um pouco antes de fechar negócio.

4. Tenha uma reserva de emergência

Despesas inesperadas podem acontecer com qualquer família. Por isso, é indicado que parte do orçamento mensal seja reservada especificamente para esse propósito. A ideia é criar uma espécie de fundo emergencial, que possa ser usado sempre que aparecerem imprevistos financeiros.

O valor deve ser guardado mesmo nos meses em que seu uso não for necessário, pois essa poupança pode ajudar a não comprometer o orçamento caso algo saia fora do previsto para os gastos de determinado mês.

Neste artigo, falamos sobre a importância do orçamento familiar para garantir a saúde financeira da casa e manter os gastos sob controle. Com organização e uma visão realista das despesas e necessidades da família, é possível obter ótimos resultados.

Agora que você já sabe como implementar um orçamento familiar, baixe nosso e-book e tenha acesso a informações completas sobre como ter um planejamento para terminar o mês sempre no azul!

materiais educativos