Nômade digital: como se preparar financeiramente para esse estilo de vida?

Nômade digital: como se preparar financeiramente para esse estilo de vida?

Com as novas gerações, o mundo do trabalho vem sofrendo profundas mudanças e se transformando em algo menos burocrático, repetitivo e maçante. Na onda desse novo paradigma existe um tipo de profissional que tem ocupado cada vez mais espaço no mercado: é o chamado nômade digital.

A alternativa exerce um certo fascínio, em especial sobre os millennials — a chamada Geração Y ou, simplesmente, geração da internet. O motivo? Esse modelo de atuação sugere mais liberdade, menos compromisso de horário fixo e maiores chances de trabalhar com o que se gosta.

Isso se deve à possibilidade de atuar de forma remota, ou seja, sem a necessidade de frequentar as instalações de uma empresa. O escritório fica por conta do nômade digital, então ele pode ser no próprio quarto, em algum espaço público de coworking e até mesmo na praia.

Interessante, não? A proposta realmente é muito tentadora, mas é preciso destacar que trabalho é sempre trabalho, e que flexibilidade nada tem a ver com moleza.

Então, se você pretende se tornar um nômade digital, siga a leitura deste post e observe que é fundamental entender como funciona a sistemática de trabalho autônomo.

Além disso, é essencial se planejar financeiramente, porque os dias e horários de trabalho não são engessados, mas as contas continuam tendo data certa para vencer. Boa leitura e bons planos!

O que é ser nômade digital?

O nomadismo digital é uma consequência natural da tendência à virtualização, à digitalização e à adoção de tecnologias no cotidiano das pessoas e das empresas. Sua característica marcante é o trabalho online ou remoto.

Desde que exista uma conexão adequada à internet, o profissional pode trabalhar ao melhor estilo freelancer, onde estiver. Sendo residente ou visitante em outra cidade ou país, o nômade digital recebe as demandas. Depois de executá-las de onde estiver, ele publica o resultado em algum site ou blog, ou envia por meio de plataformas digitais ou até mesmo por e-mail.

O advento dos serviços em nuvem — como ambientes de compartilhamento de arquivos e as ferramentas de chamada de vídeo — também é decisivo na vida dos nômades digitais. São essas tecnologias que fazem a aproximação entre quem demanda os serviços e os profissionais sem endereço fixo, capazes de atender às necessidades apresentadas sem contato direto com o cliente.

Com a redução da distância permitida por soluções tecnológicas cada vez mais acessíveis e robustas, nada impede que um profissional seja contratado para executar determinada tarefa e a entregue à distância.

Essa fluidez também se aplica à formalização do acordo. Às vezes, não é necessário contrato ou estabelecimento de vínculo empregatício.

Esse é o caso de várias pessoas que optaram por dar um basta em uma rotina muitas vezes rígida de cumprir horários, participar de reuniões ineficientes, superar metas, atender clientes, prestar contas para gerentes… Fora o impacto negativo na vida pessoal, que fica em segundo plano.

Em geral, esses profissionais adotam três possibilidades de trabalho. Veja a seguir quais são essas alternativas!

Trabalhador remoto

nômade digital

É aquele profissional que negocia com seus superiores a entrega de tarefas de forma online. Nesse caso, o trabalhador continua vinculado a uma empresa, mas é autorizado a atuar em regime home office, sem precisar se apresentar na sede ou em alguma filial da organização.

Algumas empresas já abrem processos seletivos específicos para trabalhadores remoto. Essa opção é bastante comum nas empresas do ramo de turismo, telemarketing e venda direta de produtos e serviços.

Empreendedor

Aqui se enquadram aqueles que sempre sonharam em ter seu próprio negócio, mas não querem seguir o caminho tradicional do microempresário que abre uma organização, busca recursos em bancos e apoio em instituições de fomento ao empreendedor.

Um exemplo cada vez mais comum são os produtores de conteúdo digital, que se especializam em publicar infoprodutos, ou produtos digitais, que são vendidos por meio de estratégias de Marketing Digital e programas de afiliados.

Também há a opção de abrir um e-commerce para venda online de produtos que sequer existem em estoque. Eles são adquiridos assim que um cliente os escolhe na loja virtual, e enviados pelo fornecedor diretamente ao consumidor final.

Freelancer

O conhecido mercado de freela é crescente e é um dos modelos preferidos do nômade digital.

Nele, especialistas em diversas áreas buscam em plataformas digitais ofertas de jobs pontuais, como projetos com tempo definido para acabar, e ali mesmo disponibilizam o resultado do seu trabalho.

Não se trata de viver somente de trabalhos temporários em diferentes localidades, mas sim de estruturar uma carreira profissional baseada na produção online.

Para quem quer investir no nomadismo digital, as alternativas são muitas, talvez infinitas. Claro que existem práticas que já estão mais consolidadas, mas o que se percebe é que, no universo online, o céu é o limite.

Então, um horizonte se abre para aquele que tem espírito empreendedor, consegue ser disciplinado, tem responsabilidade perante compromissos assumidos e vontade de experimentar uma vida livre. Basta focar e seguir o caminho mais conveniente.

materiais educativos

Quais são as principais características desse estilo de vida?

Ser nômade é não se fixar em um determinado local por muito tempo, e isso não impede que o profissional seja produtivo, eficiente e competente.

Essa forma de se relacionar com o trabalho mostra que uma nova visão de mundo vem se estabelecendo, na qual a satisfação pessoal vem antes da realização profissional. Com isso, busca-se primeiro estar onde se quer estar, para depois partir para o provimento financeiro da vida que foi escolhida.

O critério, então, é manter um estilo de vida prazeroso e, de preferência, trabalhar com aquilo que agrada e que motiva. Alguns aspectos caracterizam essa vertente trazida pelo nomadismo digital. Observe!

Renda ligada à tecnologia

Para quem trabalha dessa forma, o caminho da internet é obrigatório. É ela, ao lado de dispositivos como laptops, tablets e celulares, que viabiliza a rotina do nômade digital. É por meio desse combinado de insumos tecnológicos que o serviço será recebido, enviado e remunerado.

No caso de blogueiros que conseguem monetizar seus canais digitais, sequer existe demanda: conteúdos são publicados, chamam a atenção de leitores, atingem boas posições no ranking dos buscadores online. Esse sucesso atrai anunciantes e programas de afiliados que remuneram o blog pela captação de prospects para seus negócios.

Democratização das oportunidades

O mercado formal de trabalho exige especialização e comprovação de experiências e conhecimentos, afunilando o leque de oportunidades para quem compete por vagas.

No ambiente online, toda habilidade tem valor. É possível rentabilizar canais de YouTube, por exemplo. Isso pode ser feito com a publicação de vídeos ensinando receitas caseiras, cuidados com as crianças, aulas de idiomas, confecção de peças de artesanato, dicas sobre diversos assuntos de interesse dos mais variados públicos.

Foco e determinação

Quem opta por ser nômade digital quer fugir dos controles do ambiente corporativo e, muitas vezes, das convenções sociais também. Aliado a isso, a vontade de viajar e conhecer outros lugares e culturas impulsiona a decisão pelo nomadismo digital.

É esse conjunto de interesses que encoraja aquele que assume o risco de ter que ser produtivo mesmo quando tudo convida a relaxar e a aproveitar o momento. Se há uma qualidade que o nômade digital precisa ter é o foco, para que os compromissos sejam cumpridos nos prazos acordados.

A rotina é a falta de rotina

Mesmo que o nômade digital seja um profissional especializado apenas em uma área, seus dias nunca são iguais. Não há repetição de afazeres ou, se há, esse peso não é sentido.

Isso ocorre porque o cenário onde o profissional atua está em constante mudança. Sempre será necessária uma adaptação a uma moradia diferente, a um estilo de vida local, a temperos até então estranhos, ao ritmo costumeiro de onde está sendo a residência temporária.

Quais são os benefícios desse estilo de vida?

Se o estilo de vida e de trabalho não fosse bom, não haveria uma adesão crescente a ele, certo? Realmente existem vários fatores favoráveis ao nomadismo digital, e são eles os responsáveis por esse novo paradigma que vem se consolidando no mercado.

Vamos conhecer alguns desses bons motivos agora!

Liberdade e flexibilidade

Esse é o ponto positivo que mais chama atenção de quem se interessa em ser nômade digital, já que são profissionais que buscam autonomia e não gostam de se prender a ambientes formais e engessados.

Afinal, ele permite viver sem horário certo para bater ponto no trabalho e poder conhecer novos lugares de tempos em tempos, sem precisar abandonar o ganha-pão.

Carimbar o passaporte

nômade digital

Quem gosta muito ou tem verdadeira paixão por viajar está no topo da lista dos futuros nômades digitais. E o estilo permite isso mesmo! Não importa onde você está. Então, com boas doses de organização, é possível usar o trabalho remoto para viabilizar o sonho de conhecer o mundo.

Escritório ambulante

Já sabemos que o nômade digital não frequenta as instalações de uma empresa. Mas o melhor é que ele pode escolher o espaço que quiser para chamar de escritório.

O importante é que ele tenha acesso à internet, premissa básica do nomadismo digital. Tirando isso, as exigências corporativas não existem, fica tudo a gosto do profissional.

Jornada de trabalho nada convencional

A legislação brasileira é rígida e impõe vários itens a serem atendidos pelos empregadores. Por exemplo, a jornada do profissional.

É o nômade digital quem escolhe se sua dedicação será integral, meio período ou algumas horas por dia. Ele também decide qual horário será usado para produzir, sem que precise ser fixo.

Ser dono do próprio nariz

Um nômade digital tem total controle sobre as atividades que realiza, tanto pessoais quanto profissionais.

É ele quem decide qual tarefa aceitará e como se organizará para ter tempo para realizá-la e aproveitar os atrativos do local que escolheu para viver por um tempo. Ele é seu próprio chefe!

Economia

Se você trabalha viajando, não precisa programar gastos com viagens. Além disso, é possível escolher locais onde o custo de vida seja mais baixo, sem perder em qualidade.

Também não há o custo de deslocamento para a empresa ou para atender o cliente, nem a necessidade de obedecer ao dress-code corporativo, que acaba sendo uma despesa da qual não se pode fugir.

Ampliação da visão de mundo

Com a oportunidade de conhecer novos parâmetros de vida e culturas, a mente se abre, a criatividade aflora e o entendimento sobre o mundo ganha novos contornos.

Ser nômade digital é um exercício de autoconhecimento, de aprendizado, de enriquecimento pessoal e profissional.

Produtividade impulsionada pela felicidade

Fazer o que se gosta não tem preço! Quando a tarefa do dia é aquela com a qual nos identificamos, aquela para a qual nos capacitamos, aquela que traz brilho aos olhos… aí a motivação é garantida e o resultado é um nível maior de eficiência e produtividade.

Quando alcança a sensação de estar realizado, o ser humano extrapola limites e transpõe barreiras. O profissional nessas condições é capaz de entregar trabalhos acima da média, sem precisar se sacrificar para chegar a esse ponto.

Maior leque de vivências profissionais

O funcionário de uma empresa conhece uma realidade delimitada ao universo daquele empreendimento, daquela cultura organizacional.

Sendo nômade digital, sem o vínculo empregatício, o profissional pode atender a diversos clientes ao mesmo tempo, sejam eles pessoas jurídicas ou pessoas físicas. Isso amplia as possibilidades de agregar novos conhecimentos e novas experiências.

Quais são as dificuldades enfrentadas?

Alguns problemas são bastante evidentes na vida de quem opta por se aventurar por aí e se responsabilizar, sozinho, por se manter. Saudade da família, receio de não dar conta do recado, medo de adoecer sem ter com quem contar para dar suporte, não construir um patrimônio…

Outros pontos de alerta também precisam ser considerados para que a transição para uma vida nômade seja tranquila. Veja com atenção!

Trabalho duro

Por mais que não haja rigidez em relação aos horários de trabalho nem a pressão de um chefe, o profissional online precisa estabelecer e seguir um ritmo de produtividade suficiente para seu sustento.

Além disso, zelar por competência e qualidade das entregas é fundamental para a fidelização de clientes.

Relacionamentos ameaçados

Como o nômade não se fixa a uma localidade por muito tempo, ele terá dificuldades em estabelecer relacionamentos duradouros.

Os amigos feitos em uma cidade não estarão na próxima. Uma forma de minimizar essa situação é usar a internet também para reduzir a distância daquelas amizades feitas, dos familiares e dos círculos de convivência da fase anterior à nômade.

Nicho de atuação

Muitas vezes, uma pessoa está certa de que quer ser um nômade digital, mas não sabe que tipo de trabalho exercerá para se manter.

Um dos desafios enfrentados é a identificação de uma fatia do mercado a ser explorada. As mais populares são design, programação, fotografia e produção de conteúdo digital escrito ou visual. Mas o leque tem se ampliado para advogados, consultores, professores de idiomas, arquitetos…

Instabilidade financeira

Se o nômade digital não se planejar bem, ele pode sofrer altos e baixos na conta bancária. Isso costuma gerar uma grande frustração e sentimento de impotência.

Para não correr esse risco, ele precisa prever despesas e receitas, além de economizar o máximo possível antes e depois de ingressar nesse estilo de vida.

Também será preciso cuidar do câmbio, que será variável e, em determinados países, poderá ser desfavorável em relação à moeda usada para pagar o trabalho realizado.

Por que é preciso se preocupar com o planejamento financeiro para ser nômade digital?

As vantagens do nomadismo digital enchem os olhos de muitas pessoas e, de início, elas pensam sobre as mudanças que serão necessárias na vida: distância da família, moradias temporárias, trabalhos variáveis, transformação da carreira, novo mindset para a vida como um todo.

E então a parte mais preocupante dessa realidade bate à porta: conseguirei mesmo pagar minhas contas e até acumular um patrimônio? A expressão popular “não tem almoço grátis” cai aqui como uma luva.

É hora de considerar que haverá, sim, retornos positivos para o cotidiano, mas a conta disso chegará — com data para vencer e com juros cobrados a cada dia excedente.

É nesse momento que a preocupação com a vida financeira de freelancer deve guiar toda a programação que está sendo elaborada. Afinal, sem recursos o profissional dificilmente se transformará em nômade digital e ainda poderá jogar por terra a trajetória tradicional que seguia até então.

Se a pessoa não sabe lidar com dinheiro, ela precisará aprender o conceito de disciplina financeira. O risco de não buscar esse tipo de “habilidade” é o de pôr a perder o sonho da liberdade que o nomadismo digital representa.

O fato de não saber quando um contrato com um cliente terminará ou quando uma nova demanda entrará é uma constante na vida do nômade digital. É por isso que ele precisa encontrar um jeito de não deixar os cofres vazios.

A questão financeira acaba sendo uma das mais relevantes no momento da decisão pela transformação de vida. Para ajudar nessa organização tão essencial, listamos no próximo tópico algumas providências que podem ser tomadas para trazer a segurança desejada. Acompanhe!

Como se planejar financeiramente para ser nômade digital?

Um nômade digital é autônomo, e os passos seguidos por profissionais liberais dão um norte a ser seguido. Claro que a palavra de ordem será planejamento, mas outras também são coadjuvantes nesse processo, como disciplina, persistência, economia e organização.

Conheça agora algumas boas práticas financeiras a fim de se planejar para o início de uma carreira digital!

Economize cada centavo

Antes de colocar o pé na estrada, corte gastos, cancele serviços que não estão sendo usados, troque a academia por caminhadas ou corrida no parque, evite comer fora, reduza as saídas para lazer, elimine supérfluos.

Esse sacrifício temporário permite que uma reserva financeira seja gerada para os períodos com baixa demanda de trabalho ou para emergências. O ideal é ter um caixa equivalente a 6 meses da renda mensal — ou 1 ano, segundo os mais conservadores.

Invista seu dinheiro

Ser um trabalhador nômade é bem diferente de estar de férias. Fazer dinheiro continua sendo uma necessidade. Uma das formas de resolver isso é investir a reserva que for feita, e também parte da remuneração que entrar todo mês.

É importante estudar opções, consultar pessoas mais experientes e ler o máximo possível de conteúdo com dicas sobre as melhores cestas para guardar os seus ovos — que não são de ouro, mas um dia poderão ser!

Tenha um controle financeiro

Preto no branco é a melhor forma de organizar a vida financeira, mesmo que essas cores sejam digitais. Investir em planilhas e em aplicativos para lançar entradas e saídas é um bom exemplo.

Somente com essa visualização dos gastos reais é que será possível planejar quantos jobs serão necessários para bancar as contas, além de definir o percentual adequado para poupar sem deixar a reserva esvaziar.

Faça uma previdência privada

Lembre-se de que o futuro é logo ali. Quando ele chegar, não estaremos mais a todo vapor em nossa força produtiva.

Então, é importante criar um ambiente favorável para quando chegar a hora de reduzir o ritmo. Nada melhor do que um plano de previdência privada para garantir um benefício de aposentadoria para autônomos.

Contrate um ou mais seguros

Seguro-viagem é fundamental para quem vai sair do país e até para quem pretende passar algum tempo morando em outro estado brasileiro. É ele que vai socorrer o nômade digital se algo acontecer.

Além disso, um seguro para autônomos é fundamental para que haja assistência em caso de acidente ou doença que reduza a capacidade de trabalho. Ou, em um caso extremo, para respaldar a família em caso de necessidade de trâmites de traslado e funeral.

Com o nomadismo digital, a vida pode ser diferente?

O nomadismo digital é uma escola de vida que permite conciliar a possibilidade de conhecer outros lugares com o trabalho.

Esse aprendizado de que a vida pode ser diferente já encanta cada vez mais pessoas, cansadas da rotina tradicional e ávidas por um melhor aproveitamento de cada dia.

A mudança é radical, mas muitos estão dispostos. Então é preciso vencer medos e limites, encarar desafios, sair da zona de conforto. Também é primordial se planejar financeiramente, porque um espírito livre não bate asas apenas com um ideal. Ele precisará de dinheiro para sustentar o voo em cada esquina que ele dobrar.

A transição para uma vida tão diferente dos padrões da sociedade não é simples, mas pode e deve ser segura. Decida o que te motiva, escolha o que gosta de fazer, ofereça serviços com demanda no mercado, invista em capacitação, construa uma carreira sólida, estabeleça uma boa network e se prepare financeiramente.

Faça sua parte e terá meio caminho andado para ser um nômade digital de sucesso e uma pessoa feliz, livre e realizada — com os bolsos sempre cheios o suficiente para levar uma vida saudável e próspera.

Se fincar raízes não é seu forte e você precisa de um planejamento financeiro para se jogar no mundo, siga nosso perfil nas redes sociais. Estamos no InstagramYouTubeLinkedInTwitter e Facebook. Fique por dentro das dicas sobre como assegurar tranquilidade financeira, mesmo sendo um trabalhador autônomo internacional!

seguro ideal

  • Publicado

    01 de fevereiro de 2019

  • Categoria

    Educação Financeira

  • Tags Relacionadas

    Carreira