9 dicas para segurar os gastos com cartão de crédito

9 dicas para segurar os gastos com cartão de crédito

Desenvolver hábitos conscientes de consumo, controlando os gastos com cartão de crédito: essa postura é fundamental para conseguir manter as finanças em ordem e chegar ao fim do mês com as contas no azul.

O detalhe é que alcançar esse objetivo não costuma ser uma tarefa simples. Saiba desde já, portanto, que tudo começa com um bom planejamento.

Entre os principais erros relacionados ao uso do cartão estão gastar mais do que se ganha, pagar somente o valor mínimo e usar o crédito como complemento de renda, entre outras ações que podem trazer grandes prejuízos financeiros para o bolso no final do mês. Melhor fugir dessas armadilhas, não concorda?

Neste post, vamos mostrar 9 dicas valiosas para você aprender a usar o cartão de crédito com responsabilidade, evitando perder o controle dos gastos. Continue a leitura!

1. Tenha um planejamento financeiro

Segure os gastos com cartão de crédito montando um planejamento financeiro

Com a grande variedade de ofertas de crédito disponibilizada pelo mercado, é essencial aprender a usar corretamente esse recurso para não estourar o orçamento. Afinal, você não quer entrar para as nada desejadas estatísticas de endividamento existentes por aí, certo?

Então entenda: adotar um planejamento financeiro é o primeiro passo para garantir que os gastos fiquem dentro do esperado no final de cada mês.

O ideal é fazer um levantamento de todos os gastos, sejam eles fixos ou variáveis. Também é importante listar os objetivos financeiros a serem atingidos, organizando-os de acordo com os compromissos já assumidos, assim como os valores a serem economizados para atingir as metas estabelecidas em seus respectivos prazos.

2. Anote todas as suas despesas

É aconselhável anotar todos os gastos realizados com o cartão de crédito, garantindo assim o controle de tudo o que é comprado com ele.

Essa medida é importante, pois oferece uma visão mais completa sobre a aplicação do dinheiro, além de ajudar a evitar excessos. Para ajudar nessa missão, você pode usar aplicativos específicos, elaborar uma planilha ou até mesmo apostar na boa e velha caderneta.

3. Evite ter muitos cartões de crédito

Ter vários cartões de crédito pode aumentar a tentação de gastar mais do que se ganha, comprometendo o orçamento. Nesse sentido, o mais aconselhável é concentrar as despesas no crédito em apenas um cartão, que só deve ser usado para aquelas despesas realmente necessárias.

Isso também ajuda a economizar com a anuidade e demais taxas administrativas do cartão, além de facilitar na hora de conferir as despesas da fatura.

4. Diminua o limite a um ponto seguro

Quanto mais alto for o limite disponível no seu cartão de crédito, maior é o risco de perder o controle, gastando mais do que o ideal. O melhor, portanto, é não ter um limite de crédito muito alto.

Leve em consideração o valor da sua renda líquida e estabeleça um limite correspondente a uma porcentagem dela. Dessa forma, fica mais fácil controlar as despesas e evitar que a próxima fatura saia do controle.

5. Negocie a anuidade e as taxas cobradas

As taxas cobradas pelas operadoras de cartão de crédito podem variar de acordo com critérios próprios. Por isso, você não só pode como deve negociar sempre que possível, a fim de encontrar valores mais vantajosos.

Muitos cartões oferecem uma série de serviços adicionais que podem aumentar as anuidades e taxas cobradas, sem você nem usar! Analise quais desses serviços são realmente necessários e mantenha só o essencial.

seguro ideal

6. Procure pagar sempre o total da fatura

O que você precisa ter em mente é que o cartão de crédito não é uma renda extra. É importante, assim, levar o custo das suas despesas em consideração, de acordo com os ganhos mensais.

Um hábito bastante comum (mas nada recomendado) é pagar somente o valor mínimo da fatura, o que faz com o restante da dívida seja renegociado com taxas de juros altíssimas. Essa atitude é extremamente prejudicial para o controle financeiro, pois pode resultar em descontrole e endividamento.

Anote aí: o ideal é sempre pagar o valor total da fatura. Se isso não for possível em determinado mês, tudo bem. Só não deixe esse deslize se tornar um hábito, combinado?

7. Fuja dos cartões de lojas

É cada vez mais comum encontrarmos lojas que oferecem cartões de crédito aos clientes. Aliás, o procedimento é extremamente rápido e simples! O problema é que toda essa facilidade pode acabar estimulando o consumo e, consequentemente, as dívidas.

Sem falar que algumas lojas ainda exigem que o pagamento das faturas só seja feito dentro do próprio estabelecimento, o que contribui ainda mais para a perda de controle financeiro.

8. Evite o acúmulo de parcelas

Cartões de lojas podem arruinar seu planejamento financeiro: fuja deles!

O consumidor só deve parcelar aquelas compras que realmente não consegue pagar à vista. Afinal de contas, o acúmulo de parcelas pode fazer com que a fatura atinja um valor incrivelmente alto no final do mês.

Na prática, mesmo quando as prestações são de valores considerados pequenos, é preciso ficar atento, evitando o acúmulo dessas dívidas para o próximo mês sempre que possível.

9. Fique de olho em programas e vantagens

Certas operadoras de cartão oferecem uma série de vantagens e descontos que podem ser aproveitados pelo consumidor a favor da própria economia! Um dos incentivos mais conhecidos (e usados) é o acúmulo de milhas.

Já ouviu falar ou já usa? O funcionamento é simples: conforme o cartão é usado, o titular vai acumulando pontos que posteriormente podem ser trocados por produtos ou serviços — como passagens aéreas.

Há também cartões que oferecem descontos que podem chegar a até 50% em determinados estabelecimentos, como cinemas, teatros, casas de show e assim por diante. Seja como for, o importante é ficar atento para aproveitar ao máximo as possibilidades oferecidas pelo uso desse recurso.

Neste post, falamos sobre a importância de controlar os gastos com cartão de crédito para manter a saúde financeira em dia e garantir que as contas fiquem sempre sob controle. Como você pode ver, com planejamento e responsabilidade, é mais que possível evitar endividamentos desnecessários. Pronto para colocar tudo isso em prática?

Se quiser saber como gastar melhor e ainda investir seu dinheiro com eficiência, aproveite para baixar nosso guia de dicas para gastar, guardar e investir dinheiro a fim de otimizar seus resultados!