Passo a passo: garantindo a segurança financeira dos filhos

Passo a passo: garantindo a segurança financeira dos filhos

A cada dia que passa, fica mais difícil prever os rumos da economia de nosso país e do mundo. Grandes empresas e excelentes profissionais que pensaram estar imunes a quaisquer situações adversas foram surpreendidos por uma crise econômica sem precedentes, que, aliada também a uma crise política, gerou verdadeiros rombos nos cofres públicos e privados. Nesse cenário, alcançar a segurança financeira é um desafio.

Assim como em uma fileira de dominós, as primeiras empresas a quebrar causaram um grande estrago em diversos setores da nossa sociedade. Desde a construtora até a prestadora de serviços, demissões em massa, atrasos nos pagamentos e dívidas sem fim completaram o pesadelo da população.

Ruim para quem se preparou, pior para aqueles que não estavam prontos para enfrentar essa situação. E é justamente sobre a importância dessa preparação que falaremos neste post especial. Mais do que estarmos preparados, como podemos preparar nossos filhos para um futuro tão incerto? Afinal, o que é segurança financeira familiar?

O que é estar preparado financeiramente?

Estar preparado não significa apenas fazer um pé de meia para os momentos de crise. É saber diversificar os investimentos, tomar decisões assertivas em momentos de pressão e, acima de tudo, educar os filhos para que eles entendam a importância da segurança financeira familiar.

Isso porque, apesar de ser um assunto que está começando a ser discutido nas escolas, o cotidiano com a família é fundamental para que os filhos vejam — principalmente por meio de exemplos — as implicações práticas de toda teoria.

A importância do planejamento também faz parte deste preparo. Você entenderá, ao longo do post, como planejar o futuro de sua família. Quais são os principais aspectos que você deve considerar ao pensar no futuro dos seus filhos, como, por exemplo, educação, saúde, moradia e qualidade de vida.

Não se engane, esse é um exercício que dá um pouco de trabalho, que exige o envolvimento e comprometimento de todos os membros da família. Mas, uma vez concluído, ilustra na prática a importância de se pensar antecipadamente nas mais diversas situações.




Afinal, o que é segurança financeira?

Quando falamos em família, a primeira coisa que pais dedicados pensam é na qualidade de vida dos seus filhos. Mais do que apenas atingir uma estabilidade financeira, como garantir que as próximas gerações estejam seguras e felizes?

Como falamos no início, a segurança financeira vai além de um pé de meia gordo. Ela considera desde o montante que você tem guardado para o caso de alguma emergência, até os bens que você possui, investimentos de longo prazo e a capacidade intelectual de cada membro da sua família para seguir replicando as melhores práticas de gestão financeira familiar.

Por isso é tão importante fazer uma previsão de gastos, considerando o número de filhos, o tempo que eles precisarão de suporte e o tipo de educação que você deseja para eles. É claro que, ao longo dos anos, surgirão desafios e obstáculos, mas o planejamento funciona como um norte para sua estratégia familiar.

A conscientização de toda a família sobre os principais aspectos econômicos e financeiros também é fundamental. Esse não é um tema muito popular, mas de extrema importância. Ao longo deste texto, entraremos em mais detalhes, mas uma palavra é de ordem: exemplo!

Não ache que seu companheiro ou seus filhos saberão economizar se você mesmo não o faz. Se o tema nunca é abordado nas conversas em família, como esperar que eles se interessem por isso? Lembre-se que o aprendizado provém da troca de informações, das dúvidas e desafios.

Investir em cursos, leituras e em todas as estratégias educativas disponíveis sobre finanças (jogos, brincadeiras etc.) é tão importante para o futuro dos seus filhos quanto fazer uma poupança. Lembre-se do velho ditado: mais importante do que dar a vara é ensinar a pescar. Por isso, não caia no erro dos nossos governantes em sua casa: ensine seus filhos a pescar!

Podemos dizer, assim, que a herança mais importante que você deixa para a sua família é o conhecimento. O comprometimento com a educação financeira de cada um, os bons exemplos no cotidiano e, claro, os investimentos e bens materiais deixados. Tudo isso é segurança financeira!

Qual é o papel dos pais na educação financeira?

Atualmente, as escolas assumiram grande parte da educação financeira de nossos filhos. Por mais irônico que possa parecer, dedicamos a maioria do nosso tempo ao trabalho justamente para poder arcar com os custos de uma boa escola, um ambiente cativante e, principalmente, confiável.

Mas o que a maioria das pessoas não pensa é na importância do exemplo. Há um ditado popular na China que ilustra bem essa realidade: o mundo faz muito barulho, por isso nossos filhos não escutam o que dizemos. Mas eles estão sempre observando nossas ações e copiando o que fazemos.

Por isso, antes de se preocupar com a educação financeira dos seus filhos, reflita se você pratica o que defende como o certo. Leia, aprenda e pratique o que aprender, para repassar as melhores práticas para seus filhos. Afinal, eles observarão e imitarão as suas atitudes muito antes de ouvir e entender o que você tem a dizer.

Isso não significa que as conversas e explicações não tenham importância. Pelo contrário: é fundamental, para uma boa educação financeira de toda a sua família, que você explique os motivos que levaram a uma tomada de decisão e, mais que isso, que eles sejam envolvidos no processo sempre que possível.

Não espere que seu filho de 9 anos entenda o porquê de você ter adiado aquela viagem de férias em função de uma oportunidade de investimento que surgiu, ou por uma dificuldade financeira que a família esteja atravessando. É certo que, num primeiro momento, ele não entenderá. Mas, em longo prazo, sua atitude fará sentido para ele e a explicação finalmente será entendida.

Assim deve ser com a família. Muitas vezes, uma decisão que não faz sentido na hora faz toda diferença anos depois. Por exemplo, no caso dessa viagem, explique a seu filho no momento oportuno que, graças ao investimento, será possível viajar melhor em um futuro próximo, ou que vocês poderão comprar a casa dos sonhos. E, quando finalmente a viagem acontecer, lembre que ela será muito melhor porque ele teve paciência para colher os frutos do investimento!

Quando você age em equipe e coloca seu cônjuge e seus filhos no processo econômico da casa, os motivos ficam claros e os benefícios também. É claro que a liderança é fundamental, sacrifícios deverão ser feitos e muitas vezes você será julgado pelas decisões que tomar. Isso faz parte da experiência de ser um líder, seja em casa ou no trabalho.

Como trabalhar com desafios e recompensas?

Uma excelente maneira de envolver sua família no processo econômico da casa é desenvolver desafios e recompensas para seus filhos. Entenda o que eles querem e pense em maneiras de fazer com que lutem por isso. Afinal de contas, assim será a vida quando saírem de casa e forem enfrentar o mundo!

Em vez de dar uma mesada fixa sem explicar os motivos que fizeram você chegar àquele determinado valor, por exemplo, sente-se com cada filho, calcule os gastos mensais (transporte, lanche na escola, cinema com os amigos no fim de semana etc.) e defina uma base.

A partir dela, determine desafios que ele pode fazer para aumentar a mesada e, da mesma forma, as ações que farão ela diminuir. Tirou notas ruins na escola, perde X por cento. Fez uma tarefa em casa (lavar a louça do jantar, por exemplo), Y por cento de ganho!

Agindo sempre de maneira justa e clara, é possível desenvolver nos seus filhos a noção de responsabilidade e mérito. O mais importante é que eles entendam que o dinheiro não cai e nunca cairá do céu. Ele deve ser conquistado com inteligência e muito trabalho.

Quando não for possível oferecer uma mesada, seja pela situação financeira ou pela necessidade de investir em algo que seja benéfico para todos, explique o porquê. Um cinema que deixa de ser pago num final de semana pode se transformar em parte da mensalidade do curso de idioma ou da escola.

Por que é necessário planejar desde cedo?

O planejamento financeiro de sua família deve existir desde antes do casamento ou da união com alguém. Sempre que um casal pensa em construir uma vida a dois, é fundamental conversar sobre as expectativas, sonhos e desejos de cada um.

Como vocês imaginam a família em 10 anos? Quantos filhos? Por falar em filhos, como imaginam a educação ideal para eles? Qual seria o melhor colégio? Desde qual idade eles começariam a estudar? Como seria a casa ideal para vocês? Quantos quartos? Em qual área da cidade? Teriam uma diarista ou uma empregada fixa?

Tantas perguntas são capazes de ilustrar bem as possibilidades que a vida em família oferece. Uma vez alinhados, os sonhos do casal podem facilmente se tornar um planejamento, com metas, objetivos e prazos a serem cumpridos. E é aqui que a coisa fica interessante para chegar na tão sonhada segurança financeira.

Uma vez que os filhos venham, desenvolver essa linha de pensamento desde cedo é fundamental para que eles entendam a importância do planejamento e, além disso, para que deem valor para as conquistas sempre que elas aconteçam, por menores que sejam.

Alguns pontos são fundamentais para o sucesso de um planejamento familiar:

Faça uma projeção dos gastos

Início básico para qualquer planejamento, a projeção de gastos deve considerar os fatores reais da sua família. Nele você deverá ser preciso com os números, metas e prazos, sendo sempre coerente com os ganhos da família. Em outras palavras, não gastar mais do que pode pagar.

Considere uma margem de erro

A margem de erro é fundamental para emergências e problemas imprevisíveis. Nela, você deve considerar desde emergências médicas até uma viagem inesperada!

Mantenha um banco de dados

Para saber quanto você irá gastar é fundamental saber quanto você vem gastando. Por isso, mantenha suas contas em ordem, de preferência organizadas em planilhas ou aplicativos de gestão financeira pessoal. Procure sempre fazer a contabilidade da família a fim de identificar onde é possível economizar.

Considere o lazer

Nem só de contas vive uma família. Em seu planejamento, considere viagens de férias, finais de semana e outras atividades que sua família faça para curtir a vida.

Flexibilize o planejamento

Flexibilidade é o que sempre devemos ter na vida. Não é porque uma grande oportunidade de investimento não estava planejada que você não deve arriscar e, da mesma maneira, não é porque uma viagem de férias não estava prevista que você não deva ir.

Considere cada situação

Veja as possibilidades e crie projeções com e sem essa nova decisão. Sempre que possível, envolva todos da sua família nesse processo, para que vocês atuem sempre como um time que tem o mesmo objetivo: vencer!




Como garantir a segurança financeira dos filhos?

Ao longo deste post, falamos diversas vezes sobre a importância de envolver toda a sua família nas decisões financeiras da casa. Sobre como é fundamental que os filhos entendam o processo que levou a uma determinada escolha e também as consequências de cada ação.

Mas, acima de tudo, os pais são responsáveis por garantir a segurança dos filhos. E isso significa calcular os riscos com precisão, imaginar os mais diferentes cenários e tomar decisões difíceis quando elas aparecem — nem sempre populares entre os mais jovens.

Pensando nisso, separamos 5 dicas que certamente ajudarão na hora de fazer o planejamento financeiro da família. Confira:

Tenha uma reserva de emergência

Existem diferentes formas de manter uma reserva de emergência. Desde o mais comum deles — a famosa poupança — até outras linhas de aplicação que permitem o saque a qualquer momento, como o Tesouro Direto, que rende um pouco mais que a poupança e não exige prazo para o saque.

Como referência, uma boa reserva deve cobrir as necessidades de sua família por um período de no mínimo 3 meses. Isso mantendo o padrão de vida que vocês possuem hoje. Caso consiga, o ideal é que ela seja suficiente para a família por 6 meses ou mais, a fim de garantir a segurança e tranquilidade necessárias para superar as dificuldades.

Para isso, considere os gastos mensais da família como um todo e multiplique pelo número de meses que deseja cobrir. O mais importante é você entender que ela deve fazer parte do cotidiano da família apenas para depósito, nunca para saque. Dessa maneira, a reserva será, efetivamente, a última opção quando o problema surgir.

Invista na previdência privada

Não é segredo para nenhum brasileiro que se mantém minimamente informado que a previdência pública em nosso país não oferece absolutamente nenhuma segurança para os aposentados. Por isso é tão comum ver pessoas da terceira idade buscando trabalho para complementar sua renda ou dependendo dos filhos para sobreviver.

Principalmente após as recentes alterações na legislação, investir em uma previdência privada para seus filhos se tornou praticamente uma obrigação. Seja em um banco, uma instituição financeira ou em empresas especialistas em previdência, esse investimento é fundamental para garantir a segurança da sua família.

Existem 3 modalidades principais de previdência privada, e você deve analisar cada um para definir qual é o melhor para sua situação. São elas: o VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), o PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e os Fundos de Pensões.

As diferenças entre as 3 têm a ver com o Imposto de Renda. Você deve considerar, também, as possibilidades que algumas empresas oferecem exclusivamente para os seus funcionários que são os fundos de pensão. Normalmente, as condições são melhores que as praticadas no mercado, e você tem o compromisso de pagar mensalmente com o desconto em folha de pagamento.

Mas, independentemente da sua decisão, muita atenção! O valor investido na previdência não deve ser, em hipótese alguma, confundido com o dinheiro da reserva de emergência. Pode parecer lógico, mas muitas pessoas confundem os dois e acabam criando apenas uma conta para tudo!

Lembre-se de investir na educação e na capacitação

Como você viu, ensinar a pescar é muito mais importante do que soltar seus filhos no mundo. Quantos impérios não foram perdidos pelos herdeiros por falta de responsabilidade, comprometimento e, principalmente, orientação?

Por isso, cursos de idiomas, especializações e uma formação de qualidade são aspectos fundamentais para a sobrevivência. Em uma realidade em que o inglês e o diploma universitário já não são diferenciais competitivos na hora de disputar uma vaga, o candidato que possuir outras habilidades sempre sai na frente.

Nesse aspecto, vale relembrar duas coisas: a primeira tem relação com os desafios e recompensas. É preciso que você valorize o esforço dos seus filhos e recompense seus méritos. Defina essas remunerações antes mesmo de eles começarem o novo desafio.

A segunda é sobre a importância de incluir os filhos no planejamento. Sempre que possível, explique por que cobra tanto notas boas no curso de inglês. Explique os motivos de dar mesada apenas se ele for bem na informática e deixe claros os benefícios em longo prazo que determinado curso oferece.

Lembre-se de que sua família é um time, você é o capitão e o objetivo é comum: viver bem, em harmonia, com segurança e, principalmente, felizes!

Tenha um seguro de vida de qualidade

Ninguém imagina que uma tragédia possa acontecer em sua própria casa. A verdade é que não gostamos de pensar sobre isso e, infelizmente, temos que considerar todas as possibilidades! Afinal, como diz o poeta, para morrer basta estar vivo!

Por isso, preocupe-se com o seu seguro de vida e com o de seu cônjuge, se for o caso. Defina um responsável para lidar com isso em caso de emergência — pode ser um advogado, familiar responsável ou o seu corretor de seguros de confiança.

Além disso, converse honestamente com todos de sua família sobre o assunto. Essa certamente não será a conversa mais prazerosa do mundo, mas fará toda a diferença em caso de uma dificuldade. Lembre-se de que você está fazendo isso por eles!

Eduque-os para poupar sempre

Ensinar os filhos a poupar pode ser mais simples do que a maioria das pessoas imagina. Isso porque, como já dissemos, os exemplos e a prática ensinam de maneira muito mais eficiente do que os discursos e as lições de moral.

Por isso, em vez de falar para seu filho economizar, defina um desafio. Ele não quer aquele jogo de videogame novo que custa 200 reais? Então dê um pequeno aumento na mesada e ensine-o a calcular quanto tempo será necessário economizar para conseguir comprá-lo.

Da mesma maneira, incentive em casa pequenas tarefas remuneradas (que não atrapalhem seus estudos) para que eles deem valor ao dinheiro. Cortar a grama do vizinho, lavar o seu carro no final de semana e até mesmo dar aulas de reforço para o irmão mais novo são algumas boas sugestões.

Não há nada melhor para um jovem do que conquistar algo que queria muito com seu próprio esforço. Nós batalhamos todos os dias e nem sempre paramos para pensar o quão difícil foi chegar onde chegamos. Por isso, reflita com seus filhos sobre cada passo nessa evolução. Mantenha-os por perto e ajude sempre que possível!

Neste post, vimos como é importante pensar na segurança financeira de sua família. Falamos sobre como ensinar isso a seus filhos e também sobre a importância de planejar cada passo desde sempre! Como uma equipe, sua família precisa de um líder que tome as rédeas das decisões, deixando claro o porquê de cada uma delas.

Assim como em uma empresa ou em um esporte coletivo, agir em parceria com seus familiares tornará o convívio mais ameno, as decisões mais claras e os benefícios provenientes dos sacrifícios mais óbvios para eles.

Pense no futuro — inclusive no que você não quer! Antecipe crises, crie uma reserva e faça um bom seguro de vida. Deixe seus familiares a par de todas as decisões e durma tranquilo, sabendo que eles estão protegidos pelo maior tempo possível, caso aconteça algo com você.

Mantenha sempre em mente: se a família toda se unir em torno de objetivos comuns, é possível conquistar muito mais e com maior facilidade! Por isso, transpire confiança, entenda as necessidades de cada um e trabalhe duro em direção aos seus objetivos. Certamente seus filhos verão esse esforço e seguirão os seus passos!

Gostou deste conteúdo? Fique atento aos próximos! Siga-nos no Facebook e Youtube!