Como usar a restituição do IR para fazer um aporte no seu PGBL

Como usar a restituição do IR para fazer um aporte no seu PGBL

Quer pagar menos imposto no ano que vem ou receber mais de volta? Você declara seu imposto no modelo completo? Suas despesas dedutíveis não atingiram 12% da sua renda bruta anual? Se as respostas para estas perguntas forem sim, você pode aproveitar sua restituição do IR para fazer um aporte no seu PGBL, ou fazer um plano se você não tem, e tirar vantagem disso. Até dia 30 de dezembro, você pode fazer um aporte no seu plano de previdência privada, modo PGBL, para utilizar o benefício na dedução do ano seguinte.

Como calcular se você atingiu o total do seu limite para a dedução?

Para você calcular sua renda anual, some o seu salário ao décimo terceiro e abono de férias. Se você recebeu algum tipo de gratificação durante o ano, ou uma pensão, esses ganhos também entram na conta.

Vamos supor que você é casado e tem um filho. Possui gastos com educação e tem uma renda anual de R$ 75 mil. Todo mês você contribui com R$200 para a sua previdência privada PGBL, em um ano o total é de R$2,4 mil. No entanto, o limite de contribuição, considerando os 12% da sua renda bruta, é de R$ 9 mil. Fazendo as contas (12% da renda anual-quanto você já contribuiu), você ainda tem uma margem de contribuição de R$6,6 mil.

Lembre-se que você também pode deduzir outras despesas no seu Imposto de Renda como educação e saúde suas e do seu dependente.

Leia mais sobre despesas dedutíveis.

Qual é a vantagem do aporte?

Se você declara seu IR no modelo completo, esse montante é abatido do seu imposto. Então ou você pagará menos ou receberá mais. De qualquer forma, seria uma quantia que iria para o Governo e que se for reinvestida vai para o seu futuro ou nos projetos que deseja realizar com a sua previdência privada.

Fique atento

O investimento em PGBL só é bom para quem faz a declaração completa. É bom se informar sobre as diferenças entre a declaração simplificada e a completa. A declaração simplificada dá automaticamente um desconto de 20% sobre a renda bruta anual. Então, para quem não tem muitas despesas dedutíveis como dependentes, educação e saúde, pode ser uma boa opção. No entanto, existe um limite. No ano de 2015 esse limite foi de R$ 16.754,34. Isso quer dizer que se todas as suas despesas dedutíveis somarem menos que esse valor, é mais vantajoso usar a simplificada.

Saiba mais sobre as diferenças entre declaração completa e simplificada.

  • Publicado

    13 de julho de 2016

  • Categoria

    Educação Financeira

  • Tags Relacionadas

    Imposto de renda