Saiba qual é o seu plano de previdência privada ideal

Saiba qual é o seu plano de previdência privada ideal

Você já é uma pessoa que pensa em deixar um patrimônio para quem ama. Que tal agora pensar em realizar os seus sonhos? Nossos planos de previdência podem te ajudar a garantir qualidade de vida no futuro ou a colocar em prática um projeto!

Entenda, em menos de três minutos, as diferenças e semelhanças entre os planos PGBL e VGBL e descubra qual é a previdência privada ideal para você!

 

O que são PGBL e VGBL?

PGBL e VGBL são os planos mais comuns de previdência privada. Em ambos, você acumula seu dinheiro visando ter uma renda no futuro, para sua aposentadoria, ou resgatá-lo depois de um tempo, para realização de um projeto.

A principal diferença entre um e outro está na questão tributária, isto é, em como é feito o cálculo para você saber o quanto deve pagar de imposto.

PGBL é a sigla para “Plano Gerador de Benefício Livre”. Nele, você pode descontar o valor poupado na hora de declarar o Imposto de Renda, até o teto de 12% da sua renda bruta. Se você ganha R$ 10 mil por mês, por exemplo, pode investir até R$ 1.200 e usar esse valor para abater a quantia devida de tributos.

Por outro lado, quando for sacar o dinheiro investido, o cálculo do IR é feito sobre o valor total do resgate (quantia investida mais rendimentos).

VGBL quer dizer “Vida Gerador de Benefício Livre”. Nesse plano, não é possível descontar o valor aplicado da declaração de rendimentos para a Receita Federal.

Porém, no futuro, quando você for receber o dinheiro, apenas o rendimento (e não o valor total) será usado para calcular o quanto pagar de imposto, permitindo pagar menos em um momento crucial da vida.



O que PGBL e VGBL têm em comum?

Apesar das diferenças, PGBL e VGBL têm muito em comum, como opções de regimes de tributação, possibilidade de resgate e opções de investimentos mais conservadores ou arrojados. Confira!

Regimes de tributação

É possível optar por um dos dois regimes de tributação existentes, progressivo ou regressivo (também chamados de “tabelas”), em qualquer um dos dois planos.

São duas coisas diferentes e independentes: os regimes de tributação estipulam as alíquotas, enquanto os planos de previdência definem a base de cálculo: no PGBL, ela é todo o valor; no VGBL, apenas os rendimentos. Você tem, portanto, quatro opções para fazer seu planejamento tributário da maneira mais adequada.

No regime progressivo, você paga impostos sobre os saques com base na tabela da declaração de Imposto de Renda.

No regressivo, a alíquota do tributo depende do tempo de cada aplicação. Ela começa em 35% e cai 5% a cada dois anos, chegando a apenas 10% depois de dez anos.

Possibilidades de resgate

Tanto no PGBL quanto no VGBL, é possível aplicar pelo tempo que você quiser e resgatar o dinheiro quando for de sua vontade.

Apesar disso, o investimento a longo prazo é mais vantajoso, graças ao efeito cumulativo dos juros compostos e à tributação mais branda, no caso de ter optado pela tabela regressiva.

Nos dois, é possível sacar todo o valor de uma vez só ou mensalmente, como um salário. Você deve escolher com base nos seus objetivos, no seu planejamento financeiro e também no regime de tributação escolhido.

No progressivo, pode ser vantajoso optar pela renda mensal, como forma de evitar as faixas de renda mais elevadas da tabela da Receita Federal.

No regressivo, a alíquota depende do tempo pelo qual o dinheiro ficou investido. Vale lembrar, porém, que a tabela regressiva vale para cada um dos aportes separadamente: as aplicações mais recentes, feitas há menos de dez anos, terão tributação maior que os 10% mínimos.



Investimentos de acordo com seu perfil

Por fim, no PGBL e no VGBL você pode escolher entre fundos mais conservadores — que correm menos riscos e têm rentabilidade mais previsível, pois investem em títulos de renda fixa — ou mais arrojados — aqueles que têm maior volatilidade e rentabilidade mais variável, já que possuem ações em suas carteiras.

Isso depende do seu perfil de investidor, isto é, quais são os seus objetivos e o quanto você tolera de riscos e oscilações no curto prazo, visando obter retornos maiores com o passar dos anos.

Como escolher entre PGBL e VGBL?

Apesar dos vários pontos em comum, as diferenças na cobrança de Imposto de Renda têm um papel fundamental na hora de optar por PGBL ou VGBL. A seguir, elucidamos as principais perguntas que deve ser consideradas na hora de escolher entre um e outro. Confira!

Você trabalha com carteira assinada, é profissional liberal ou autônomo?

O regime de trabalho é um dos fatores a serem levados em conta na hora de escolher seu plano de previdência privada.

Quem trabalha com carteira assinada e está planejando aplicar mensalmente na previdência privada deve considerar o PGBL e suas vantagens tributárias, pois consegue prever melhor sua renda e o quanto poderá abater no momento da declaração.

Profissionais liberais ou autônomos, por sua vez, podem ter mais vantagens com o VGBL, que não terá abatimentos na declaração, mas cobrará menos impostos na hora do resgate.

Sua declaração de Imposto de Renda é simplificada ou completa?

O tipo de declaração entregue à Receita Federal também é importante. O desconto dos rendimentos brutos anuais do valor aplicado em PGBL só pode ser feito na declaração completa. Por isso, se esse é o seu caso, o PGBL é a melhor opção.

Você pode, ainda, aplicar o desconto no Imposto de Renda em um plano de previdência privada VGBL e aumentar sua capacidade de poupança!



Quem faz a declaração simplificada ou quem é isento de Imposto de Renda terá mais benefícios ao optar por um VGBL, já que não poderá abater a quantia aplicada na declaração.

Qual a sua renda?

A previdência privada é um investimento bastante acessível, ao contrário do que muita gente pensa. Entretanto, sua renda é um fator importante na hora de escolher entre um dos dois planos.

Quem tem uma renda mais elevada e sofre todo ano com a mordida do Leão pode obter benefícios com um PGBL. Quem é isento de imposto por não atingir a renda mínima, por sua vez, tem mais vantagens com um VGBL.

Escolher a previdência privada ideal para seu perfil é essencial para aproveitar todas as vantagens que esse produto oferece: planejamento tributário, formação de patrimônio e garantia de renda quando você quiser parar de trabalhar. E para ter acesso tudo isso, basta contratar um dos planos oferecidos. Você pode aplicar a partir de R$ 100 por mês!

Gostou do post? Quer saber mais sobre o assunto? Não deixe de baixar nosso e-book e conhecer com todos os detalhes os benefícios de investir em previdência privada!