5 passos para limpar nome sujo

5 passos para limpar nome sujo

Segundo estatísticas do Sistema de Proteção ao Crédito (SPC), 62 milhões de brasileiros estavam em busca de limpar  nome sujo em 2018 — possivelmente, esse número aumentou de lá para cá.

O tímido movimento da economia nacional nos últimos anos contribuiu para o aumento da inadimplência no país, o que fez as famílias se endividarem. Os dados mostram que a maior parte dos inadimplentes tem entre 30 e 39, apesar de o endividamento também ter crescido entre os idosos.

Mas o que fazer para limpar o nome? Que passos dar para regularizar a situação de crédito se a sua renda continua a mesma? Continue lendo este artigo para ver uma série de dicas para que seu nome na praça volte a ficar novinho em folha!

O que leva seu nome a ficar sujo

Para começar, é preciso entender exatamente quais são as principais razões que levam alguém a entrar no cadastro de devedores do SPC Brasil, do Serasa Experian e do SCPC Boa Vista — as três empresas de análise e proteção ao crédito mais influentes no Brasil. Entenda a seguir.

limpar nome sujo

Não ter uma reserva financeira

Este é um motivo mais pessoal. A maioria das pessoas que contraem dívidas maiores do que podem pagar costuma não ter uma reserva financeira à qual recorrer facilmente.

O montante de reserva deve ser exclusivo para o pagamento de gastos de emergência, ou seja, que não estão previstos no orçamento.

Especialistas em finanças pessoais apontam que a reserva ideal deve cobrir entre três e doze meses de despesas habituais. Dessa forma, quando acontecer um imprevisto (desemprego, tratamento médico etc.), você evita ficar devendo e ter seu CPF negativado nos órgãos de proteção ao crédito.

Atrasar o pagamento e não negociar com o credor

Se você atrasar um pagamento, é provável que seu CPF não seja negativado imediatamente. As empresas até podem fazer isso, mas preferem manter um relacionamento amistoso com seus clientes.

Por exemplo, as prestadoras de serviços de telefonia costumam incluir o nome de seus clientes na lista de inadimplentes somente a partir de 90 dias de atraso.

Em geral, elas enviam uma carta, um e-mail ou fazem uma ligação telefônica para cobrar. Informam ao SPC e/ou Serasa apenas se não chegarem a um acordo, senão recebem retorno ou se há recusa de negociação e/ou quitação.

Portanto, a falta de negociação pode levar o nome a ficar sujo. Se o consumidor solicita um novo prazo ou parcela a dívida, por exemplo, ele não tem por que se preocupar.

Ser fiador de alguém que não honre a dívida

Uma situação mais comum do que a gente costuma imaginar: você é fiador de alguém que alugou um apartamento ou fez um empréstimo em uma instituição financeira. Se essa pessoa não pagar a dívida, seu nome vai parar na lista de inadimplentes.

Segundo estatísticas, essa prática costuma ser bastante recorrente quando parentes e amigos se anotam como fiadores. Logo, é importante pensar muito bem antes de assumir tamanha responsabilidade.

Quanto tempo o nome figura na lista de inadimplentes

Por regra, o prazo máximo para que um nome figure na lista de devedores do SPC, Serasa ou SCPC é de cinco anos. Depois disso, ele desaparece da lista. No entanto, isso não elimina a dívida. A empresa continuará cobrando, e pode inclusive fazer isso em juízo.

Outro ponto importante: o empreendimento não dará mais crédito ao devedor. Sem falar que, durante esses cinco anos, será impossível comprar parcelado em qualquer outro fornecedor de bens e serviços — com exceção apenas das instituições de ensino superior.

materiais educativos

Quais são as vantagens de limpar nome sujo

Há inúmeros benefícios de limpar nome sujo na praça. Entre as mais importantes, destacam-se:

• ter crédito para comprar — inclusive poder aumentar os valores concedidos por empresas de cartão de crédito, por exemplo;

• figurar na lista de bons pagadores;

• ter facilidade de pegar empréstimos e financiamentos;

• evitar o acúmulo de juros e multas;

• não se sentir ansioso ou deprimido por ser devedor;

• manter a disciplina e a educação financeira para prosperar, apesar das dificuldades que fogem do controle.

Quais são os passos ideais para limpar nome sujo

Às vezes temos imprevistos que acabam bagunçando as finanças pessoais. Como já pontuamos, se você não possui uma reserva de emergência, o resultado é uma dívida descontrolada que pode sujar seu nome.

O ideal é negociar. Confira, a seguir, por onde começar.

limpar nome sujo

1. Consulte os órgãos de proteção ao crédito

Primeiramente, é importante verificar junto ao Serasa, SPC e SCPC se o seu CPF está ou não negativado. Se for o caso, poderá saber com exatidão qual é a dívida e em que valor ela está.

SERASA EXPERIAN

Para consultar o Serasa, acesse o site serasaconsumidor.com.br. No menu “Consulte grátis seu CPF”, insira os números do seu CPF e clique em “consultar”. Em seguida, você será direcionado para uma página de cadastro/login. Poderá entrar preenchendo os campos de cadastro ou usando seu login do Facebook ou do Google+.

Ao cadastrar seu CPF no Serasa, você vai disponibilizar seu e-mail de contato. Assim, quando algum credor inserir você na lista de não pagador, um alerta será enviado.

Você também poderá baixar o aplicativo Serasa Consumidor em seus dispositivos móveis (smartphone, tablet etc.). Ele está disponível tanto para iOS quanto para Android.

SPC

O SPC não disponibiliza serviço de consulta online para o consumidor. Essa modalidade só está ativa para as empresas associadas.

Logo, é preciso buscar uma unidade de atendimento presencial para verificar se o seu CPF está ou não negativado.

Mas isso não é problema, pois você poderá utilizar a opção que apresentamos a seguir.

SCPC BOA VISTA

Por fim, para consultar seu CPF no SCPC, você deve acessar o site consumidorpositivo.com.br.

Faça o seu cadastro gratuito e pronto, você estará apto a verificar se há ou não dívidas em seu nome nessa instituição de proteção ao crédito.

2. Organize os gastos mensais

Digamos que você constatou que o seu CPF está negativado. Como agir para limpar o nome sujo?

O primeiro passo inteligente é organizar suas finanças. Analise seu orçamento com bastante critério e verifique, por exemplo, quais são seus gastos fixos e variáveis.

Faça uma planilha simples. De um lado, aponte tudo o que é essencial e não pode ser modificado; de outro, liste o que pode ser cortado — ou baixe nossa planilha de orçamento pessoal. Consumos mais supérfluos podem ser reduzidos ou eliminados. Assim, vai sobrar dinheiro para quitar suas dívidas.

3. Faça contato com os credores e renegocie

Com suas dívidas devidamente mapeadas e os gastos remanejados, é hora de contatar os credores para uma negociação.

Se você não dispõe de dinheiro para realizar a quitação ou parcelar tudo o que deve, nossa sugestão é que comece por aquelas dívidas que têm juros mais altos — cartão de crédito, por exemplo.

De qualquer maneira, não deixe de entrar em contato com as empresas para as quais você deve e combinar uma data para iniciar o pagamento. Geralmente, as companhias pedem um sinal que pode caber no seu bolso e colocam as parcelas para as datas que você solicitar.

A partir do momento em que você pagar a primeira parcela, seu nome é retirado das listas de inadimplentes.

4. Aproveite os “feirões” de renegociação

Mesmo fazendo contato com as empresas e solicitando descontos, muitas vezes não é possível quitar as dívidas. Mas fique tranquilo, há outras opções.

Muitas empresas promovem os chamados “feirões” de renegociação anualmente — algumas fazem mais de uma vez ao ano. É o caso dos bancos. Nesses eventos, os descontos e as condições de pagamentos costumam ser maiores.

O Serasa também tem um programa de renegociação de dívidas em parceria com as empresas cadastradas, o Feirão Limpa Nome Serasa. Além disso, o órgão faz a ponte entre o devedor e o credor a qualquer momento, via internet — o Limpa Nome Online.

5. Programe-se para não se endividar de novo

Por fim, é importante tomar cuidado para não cair em dívidas novamente.

Por exemplo, um dos grandes vilões da inadimplência no Brasil é o cartão de crédito. Ele pode se tornar uma bola de neve, principalmente se você pagar apenas o mínimo. Os juros mensais são muito altos. Às vezes, vale mais a pena pegar um empréstimo com juros menores do que entrar no rotativo do cartão.

Investindo em uma Previdência Privada, você cria uma reserva financeira de emergência, seja para prevenir ou para limpar o nome sujo. Tenha mais tranquilidade financeira em sua vida, invista!

Curtiu este artigo? Compartilhe com os seus amigos!

seguro ideal